Economia Catarina Martins diz ter “dificuldade em compreender” o veto de Marcelo

Catarina Martins diz ter “dificuldade em compreender” o veto de Marcelo

A coordenadora do Bloco de Esquerda lembrou que os estudantes universitários que queiram aceder a bolsas de estudo e os pensionistas que queiram receber prestações sociais também não têm sigilo bancário.
Catarina Martins diz ter “dificuldade em compreender” o veto de Marcelo
Negócios 01 de outubro de 2016 às 16:01

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE) disse, este sábado, ter "alguma dificuldade em compreender" o veto do Presidente da República à proposta do Governo de levantamento do sigilo bancário a contas com mais de 50 mil euros em Portugal.


Catarina Martins, que estava de visita aos Açores, para participar na campanha eleitoral para as eleições de 16 de Outubro, lembrou que os estudantes universitários que queiram aceder a bolsas de estudo e os pensionistas que queiram receber prestações sociais também não têm sigilo bancário.


"Temos alguma dificuldade em compreender a decisão do senhor Presidente da República. Em Portugal, um estudante para ter uma bolsa de estudo, tem de dizer quanto tem na conta bancária. Para eles, não há sigilo fiscal", recordou Catarina Martins, acrescentando que os pensionistas com pensões muito baixas, para poderem aceder ao complemento solidário para idosos, "também não têm sigilo bancário".


A coordenadora do Bloco de Esquerda lembrou que a direita votou no Parlamento Europeu uma directiva que permite o acesso de outros países a contas de cidadãos estrangeiros para combater a fraude e a evasão fiscal.

"E nós perguntamos: ‘Não era politicamente oportuno que o Fisco em Portugal pudesse ter uma forma de cruzamento de dados para poder identificar situações em que os rendimentos são declarados muito baixos, quando há contas bancárias muito altas?", lançou.


Para Catarina Martins, a proposta de acabar com sigilo bancário "não é uma coscuvilhice sobre as contas das pessoas", apenas permite que, uma vez por ano, para contas com um valor elevado, o fisco possa cruzar dados e "lutar contra a evasão e a fraude fiscal".


Questionada sobre se o Bloco de Esquerda vai insistir no Parlamento no levantamento do sigilo bancário, apesar do veto do Presidente da República, Catarina Martins escusou-se a responder, deixando, porém, críticas aos partidos de direita.


"É absolutamente inaceitável e de uma tremenda hipocrisia que a mesma direita que no Parlamento Europeu votou directivas e acordos que acabam com o sigilo bancário, para que entidades de outros países possam combater a fraude a evasão fiscal, negue essa possibilidade ao nosso país", lamentou.

O Presidente da República vetou o decreto do Governo que obriga os bancos a informar a Autoridade Tributária sobre as contas bancárias de residentes em território nacional com saldo superior a 50 mil euros.


O Presidente da República justificou na sexta-feira o veto ao decreto do Governo sobre acesso da Autoridade Tributária a informação bancária considerando que é de uma "inoportunidade política" evidente, num momento de "sensível consolidação" do sistema bancário.




A sua opinião41
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 01.10.2016


PS DEIXA MORRER UTENTES DO SNS... PARA DAR MAIS DINHEIRO À FP:

- PS aumenta despesa com salários da FP em 500 milhões de Euros;

- PS reduz horário da FP para 35 horas;

- PS corta orçamento dos Hospitais Públicos.

comentários mais recentes
Anónimo 04.10.2016

como contribuinte e em tempo de reducao despesas nao entendo como existem 230 deputados quando a lei permite 180

Anónimo 03.10.2016

Catarina Martins E AS Mortágua com as suas ideologias de extrema ESQUERDA vao acabar com o que resta do país

SÓ pergunto elas criam emprego, são empreendedoras

Anónimo 03.10.2016

Catarina Martins GOSTARIA DE LHE PERGUNTAR qual o PAÍS DO mundo com ideologia DE ESQUERDA comunista sendo o seu partido de e Estrema ESQUERDA QUE SE ENCONTRE EM Condições DE AJUDAR O povo COREIA DO NORTE AHAH

Pedro 02.10.2016

Catarina Martins tem dificuldade em compreender várias coisas e não apenas o veto de Marcelo. Por isso é que é do BE.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub