Política Catarina Martins: Economia recupera "desde que começámos um processo de recuperação de salários e pensões"

Catarina Martins: Economia recupera "desde que começámos um processo de recuperação de salários e pensões"

"A economia em Portugal está a recuperar, e isso é bom para toda a gente, desde logo as empresas vêem a recuperação nos seus resultados, desde que começámos um processo de recuperação de salários e pensões", sublinhou Catarina Martins.
Catarina Martins: Economia recupera "desde que começámos um processo de recuperação de salários e pensões"
Lusa 20 de novembro de 2017 às 12:35

A coordenadora do Bloco de Esquerda sinalizou hoje que a economia portuguesa está a recuperar desde que se aumentaram salários e pensões, lembrando ao presidente da Confederação Empresarial de Portugal (CIP) que tal é bom também para as empresas.

 

"A economia em Portugal está a recuperar, e isso é bom para toda a gente, desde logo as empresas vêem a recuperação nos seus resultados, desde que começámos um processo de recuperação de salários e pensões", sublinhou Catarina Martins.

 

A líder bloquista abordava o aumento do salário mínimo e declarações do presidente da CIP, António Saraiva, que em entrevista conjunta ao Jornal de Negócios e à Antena 1 considerou, por exemplo, que o Orçamento do Estado (OE) para 2018 "cria expectativas às famílias, mas decepção às empresas".

 

A carregar o vídeo ...

"O BE considerou logo em 2015 que o salário mínimo nacional devia ser de 600 euros o quanto antes", disse Catarina Martins, lembrando todavia que o acordado com o PS aquando da formalização do executivo socialista foi um aumento de 5% ao ano, o que levará a que o salário mínimo chegue aos 580 euros em 2018 e 600 euros em 2019, último ano da legislatura.

 

"Nenhuma economia cresce num sítio em que quem vive do seu trabalho não tem direitos", prosseguiu a bloquista, antes de sublinhar que é preciso também "reconstituir direitos e salários do privado", sector também "muito atacado no tempo da 'Troika'".

 

E concretizou: "Com a mesma força que lutamos elos direitos dos trabalhadores do Estado, também lutamos pelas alterações que permitem reconstituir direitos e salários no sector privado".

 

Catarina Martins falava à margem de uma visita à Associação Solidariedade Imigrante, em Lisboa, onde esteve acompanhada pelos deputados José Manuel Pureza e Isabel Pires e pelo vereador do Bloco na autarquia da capital, Ricardo Robles.

 




A sua opinião16
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Mr.Tuga Há 3 semanas

Mas alguém dá o mínimo de credibilidade a esta grande BROCHIs+Ta?

Anónimo Há 3 semanas

Em comparação com Marcelo e o seu governo das esquerdas unidas, Obama foi um fanático ultra neoliberal. As pessoas mais desatentas ou distraídas deviam ter consciência disto. Cabe a órgãos de comunicação social como o Jornal de Negócios, de forma pedagógica, a facilitação dessa informação verídica e oportuna à luz dos desafios que Portugal e os portugueses enfrentam e dos quais muitos nem se apercebem. Foi lamentável o que aconteceu em Pedrógão Grande e em Tancos por causa do investimento público ter sido cortado pelo governo socialista para o nível mais reduzido desde 1960 para equilibrar contas públicas pressionadas pela patologicamente extensa e criminosamente hiperinflacionada folha salarial e de pensões do Estado. "Job shifts under Obama: Fewer government workers, more caregivers, servers and temps" www.pewresearch.org/fact-tank/2015/01/14/job-shifts-under-obama-fewer-government-workers-more-caregivers-servers-and-temps/

Manuel Há 3 semanas

E desde que estão no governo também a seca que aasola Portugal e os incêndios que mataram mais de 100 pessoas. A vossa contribuição para a melhoria da economia é tão relevante como para os restantes.

Vagabundo Há 3 semanas

Há aqui uns parolos que não percebem nada de economia: com esta desgovernação se tivesse a governar sem poder pedir dinheiro emprestado, pois.... não era um, nem dois, mas talvez uns dez orçamentos rectificativos.
Vão aprender fazer contas direitas...

ver mais comentários
pub