Política Catarina Martins: Há "uma aliança do Bloco Central" preocupante sobre o sistema financeiro

Catarina Martins: Há "uma aliança do Bloco Central" preocupante sobre o sistema financeiro

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE) transmitiu esta sexta-feira uma mensagem de estabilidade da actual solução governativa, mas considerou que existe "uma aliança do Bloco Central" entre PS e PSD "preocupante" em relação ao sistema financeiro.
Catarina Martins: Há "uma aliança do Bloco Central" preocupante sobre o sistema financeiro
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 21 de Outubro de 2016 às 16:22

Em declarações aos jornalistas, no final de uma audiência no Palácio de Belém, Catarina Martins não quis entrar em detalhes sobre propostas de alteração ao Orçamento do Estado para 2017, remetendo esse debate para o Parlamento: "Em todo o caso, o BE tem todo o prazer e disponibilidade para trocar informações com o Presidente da República."

 

Por outro lado, a coordenadora do BE reiterou que para o seu partido é essencial fazer uma reestruturação da dívida pública, mas acrescentou: "Nestes temas as posições estão consolidadas, é preciso é que exista a maioria política para avançar. E o PS, como sabem, não constrói essa maioria connosco".

 

Questionada sobre os salários dos administradores da Caixa Geral de Depósitos (CGD), Catarina Martins afirmou que "sobre o sistema financeiro as divergências entre o Bloco e o Governo são imensas" desde o primeiro momento.

 

"Julgo que o primeiro sinal que existiu foi o Orçamento rectificativo do Banif que, como sabe, o BE votou contra, e passou com o apoio do PSD. Mais uma vez, no que diz respeito aos salários do conselho de administração da CGD, foi votada há dois dias uma proposta, no caso, do PCP", prosseguiu, referindo que " quem votou ao lado do PS para manter os salários dos gestores foi mais uma vez o PSD".

 

A coordenadora do BE concluiu que "para o BE é preocupante que no que diz respeito ao sistema financeiro exista uma aliança do Bloco Central que não tem permitido uma alteração significativa na forma como o país encara o sistema financeiro".

 

"Mas não deixaremos, naturalmente, de trabalhar sobre essa matéria", ressalvou.




A sua opinião25
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 semana

O crómio do pureza põe aquele ar circunspecto para as pessoas pensarem que sabe contar notas.

comentários mais recentes
Francisco Carvalho Há 1 semana

PASSO ! BACORADA SEGUINTE...!

Carlos Silva Há 1 semana

As alianças funcionam essencialmente para nos tramar...

José Santos Há 1 semana

Chamem o Trotsky que ele resolve isso

Amel Ribeiro Há 1 semana

kkk esta fuma muito , apoia o governo PS do camarada Costa e reclama de quê? ela não se entende a ela mesma tanta contradição ..

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub