Orçamento do Estado Catarina Martins: problema das empresas não é a carga fiscal

Catarina Martins: problema das empresas não é a carga fiscal

A coordenadora do BE disse hoje que o problema das empresas não é a carga fiscal mas as regras que permitem às grandes "uma evasão fiscal consentida", defendendo que o próximo Orçamento do Estado prossiga com maior justiça fiscal.
Catarina Martins: problema das empresas não é a carga fiscal
Miguel Baltazar
Lusa 09 de Outubro de 2016 às 18:56

"Este Orçamento do Estado no que diz respeito às empresas como a tudo o resto deve prosseguir com maior justiça fiscal fazendo com que quem ganha mais pague o que deve e quem ganha menos não seja tão sacrificado", afirmou Catarina Martins.

 

A líder do BE foi questionada pelos jornalistas nos Açores, onde esteve este fim-de-semana na campanha para as eleições regionais do dia 16, sobre as declarações de hoje do primeiro-ministro nas quais afirmou que não está previsto qualquer tipo de aumento de tributação sobre as empresas.

 

"O problema não é a carga fiscal sobre as empresas, o problema é as regras, nós de facto temos regras que permitem às empresas o chamado planeamento fiscal que não é mais nem menos do que uma evasão fiscal consentida, ao mesmo tempo que temos as pequenas empresas a terem obrigações tremendas para as quais muitas vezes não conseguem responder", argumentou a dirigente bloquista.

 

Catarina Martins defendeu que se deve "evitar o planeamento fiscal e obrigar os grandes grupos económicos a pagar os impostos que devem pagar em Portugal" e por outro lado considerou que se deve "acabar com obrigações que são grandes demais para as empresas pequenas".

 

"Não temos um problema da carga fiscal exagerada para as empresas, também não temos um problema da carga fiscal ser muito pequena, temos um problema sim dos grandes grupos económicos não pagarem o que devem, porque termos uma legislação que facilita o planeamento fiscal e é preciso acabar com ela", frisou.

 

Ao mesmo tempo, existem "obrigações a mais muitas vezes da burocracia e dos adiantamentos para pequenas empresas que ficam asfixiadas", prosseguiu.

 




A sua opinião32
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado António Costa Há 3 semanas

Ela nao precisa de se preocupar, a empresa dela (estado), enquanto houver contribuintes, nunca passará mal.

comentários mais recentes
MarchisioDaSilva Há 3 semanas

Pois não, o problema das empresas és tu e o teu bando que pensam que a solução é taxar tudo e qualquer coisa que dê dinheiro neste país!

Vocês acordam todos os dias e pensam que é preciso taxar quem assume riscos e tenta ganhar dinheiro de forma legítima e legal, para que esses tenham de suportar o fardo e financiar o insucesso de todos aqueles que não fazem um cu neste país e nem se esforçam!

Estão a destruir o país e a capacidade de gerar dinheiro do mesmo, apenas para implementar as vossas medidas para sacar votos fáceis! Vai emagrecer o estado, aliviar a carga fiscal e põe-te mas é fora daqui!

Anónimo Há 3 semanas

Lamentável. Como é possível uma dirigente dum partido com responsabilidades dizer uma baboseira destas?!

Algum criou alguma empresa ou sequer um posto de trabalho?

Anónimo Há 3 semanas



PS . BE . PCP são uns PHILHOS DE PHU TA que xupam o sangue ao POVO...

para dar mais dinheiro e privilégios aos FP & CGA.


Anónimo Há 3 semanas

Dentro do PAINEL INTERLUCOTÓRIO que rege o atual PS...diria que este é o DISCURSO MAIS PAINELARISTA que li!

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub