Política Cavaco pede aos jovens para acreditarem que o "elevador social" funciona em Portugal

Cavaco pede aos jovens para acreditarem que o "elevador social" funciona em Portugal

O ex-Presidente da República Cavaco Silva pediu esta quarta-feira aos jovens para que continuem a acreditar que o "elevador social" funciona em Portugal e que é possível "partir de baixo e chegar longe" com trabalho.
Cavaco pede aos jovens para acreditarem que o "elevador social" funciona em Portugal
Miguel Baltazar
Lusa 30 de Novembro de 2016 às 17:42

"Eu convido-vos a firmemente continuarem a acreditar que o elevador social funciona em Portugal, que é possível partir de baixo e chegar longe, não deixem de acreditar que é possível, mas que é necessário trabalho, não basta a imaginação, é necessário trabalho", afirmou o antigo chefe de Estado, numa intervenção no encerramento da cerimónia em que foram entregues os prémios da 6.ª Edição das "Bolsas Sociais EPIS - Escolas de Futuro 2016", que decorreu num hotel, em Lisboa.

 

Sublinhando que tem por si próprio a experiência de que, "por muita inteligência" que se tenha "sem trabalho não se chega longe", Cavaco Silva apelou para que os jovens não desistam.

 

"Não desistam, acreditem, o elevador social funciona em Portugal", insistiu.

 

Numa breve intervenção, o ex-Presidente da República recordou a criação da associação EPIS - Empresários para a Inclusão Social, em 2006, confessando que talvez seja a iniciativa que maior satisfação lhe deu ao longo da sua vida política.

 

"Estou convencido que este projecto está a dar o seu contributo para uma maior igualdade de oportunidades no nosso país e para mais justiça social no nosso país", disse.

 

Felicitando os jovens que foram premiados e que "acreditam que pelo trabalho é possível ter sucesso escolar" e que "a educação é um pilar decisivo para subir na vida", Cavaco Silva, que é actualmente associado de honra da EPIS, frisou que as bolsas sociais atribuídas não são apenas "uma dádiva que se distribui".

 

"Combina-se a responsabilidade social, o apoio que se dá, para que os jovens adquiram capacidade para ter sucesso na sua vida profissional, todos têm razão para estar orgulhosos, os premiados e as empresas que ajudaram a construir este plano de bolsas sociais EPIS", referiu.

 

Na sua intervenção, Cavaco Silva confidenciou ainda que a acção da EPIS foi um dos assuntos com que falou com o actual Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no encontro que tiveram na "transmissão de poderes".

 

"Falei-lhe no entusiasmo com que apoiei e que merecia continuar a ser apoiado o projecto da EPIS", revelou, insistindo que a associação está a dar um contributo importante numa das áreas decisivas para a redução das desigualdades, a educação.

 

"A educação é a via pela qual jovens, os portugueses adquirem os conhecimentos, a mais-valia que pode ser utilizada em qualquer ponto do nosso país e em qualquer parte do mundo", sustentou, congratulando-se por a EPIS continuar a trabalhar em parceria com o ministério da Educação.

 

À saída da cerimónia de entrega dos prémios, os jornalistas questionaram Cavaco Silva sobre temas da actualidade, como a aprovação do Orçamento do Estado para 2017 ou a polémica da Caixa Geral de Depósitos, mas o antigo Presidente da República escusou-se a fazer qualquer comentário sobre essas matérias".

 

"Os heróis desta reunião que teve hoje lugar aqui são os alunos e as escolas e é com eles que vocês devem falar, porque se trata de reconhecer o mérito e nem sempre em Portugal se reconhece o mérito de fazer bem", vincou.

 

A EPIS foi criada em 2006 por um grupo de 112 empresários e gestores portugueses. Hoje em dia conta com mais de 350 empresas associadas e parceiros.

 

Desde o início dos seus programas a EPIS acompanhou mais de 18 mil alunos em proximidade, em três centenas de escolas de 36 concelhos de todo o continente e em 5 ilhas das regiões autónomas.




A sua opinião26
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado valeaquilino Há 6 dias

Como é possível ainda vir dar "BITATES".
O "elevador social" ainda funciona e bem: para baixo leva quase todos, para cima leva os "passageiros frequentes".

comentários mais recentes
Anónimo Há 5 dias

Sr. ex.Presidente creio que ainda é muito cedo para o sr. dar opiniões, ainda não se esqueceram do passado recente do seu procedimento como presidente ,entendo que do sr. e do passos coelho as pessoas os portugueses estão saturados.

Os Portugueses ficaram fartos de ti Há 5 dias

Os jovens, que com o desgoverno do vígaro Passos que tu apoiaste, partidária e vergonhosamente, foram convidados a sair do país.
Faz-nos um favor, imbecil : chegou-nos e sobrou-nos a tua presença sinistra.
Desaparece e vai para o teu buraco.

Anónimo Há 6 dias

POIS MAS NÃO ERA ESSA A IDEIA QUE TINHAS JUNTAMENTE COM O TEU AMIGO PASSOS QUANDO ESTAVAS NO POLEIRO? O QUE DISSERAM AOS JOVENS? E M I G R E M !!! COMO FOI POSSÍVEL TANTA ESTUPIDEZ PARA COM ESTA GERAÇÃO?! É O REFLEXO DE QUEM NOS DESGOVERNOU! O PIOR PRESIDENTE E O PIOR GOVERNO PÓS 25ABR É OBRA!

Eduardo Há 6 dias

Funcionar até funciona, mas mais para baixo do que para cima. Os funcionários que operam o elevador fizeram greve para os andares de cima. Quem quiser que vá a pé!

ver mais comentários
pub