Economia Cavaco diz que as reformas dele "não chegarão para pagar despesas"

Cavaco diz que as reformas dele "não chegarão para pagar despesas"

Em resposta a uma pergunta de um jornalista, Cavaco Silva disse hoje que os 1.300 euros que vai receber por mês da Caixa Geral de Aposentações, para onde descontou durante quase 40 anos, e do fundo de pensões do Banco de Portugal para onde descontou durante quase 30 anos, "quase de certeza que não vão dar para pagar" as suas despesas.
Negócios 20 de Janeiro de 2012 às 15:49
Em declarações ao jornalistas no final da primeira etapa da visita de dois dias que está a fazer ao Porto, Santo Tirso, Famalicão e Guimarães, o Presidente da República foi confrontado com algumas perguntas dos jornalistas.

Entre elas, a mais embaraçosa foi sobre o facto do chefe de Estado receber subsídio de férias e de Natal, como reformado do Banco de Portugal, de acordo com o "Público".

Confrontado com a pergunta, o Presidente da República hesitou e por fim respondeu que os 1.300 euros que irá receber por mês da Caixa Geral de Aposentações, para onde descontou durante quase 40 anos, e do fundo de pensões do Banco de Portugal para onde descontou durante quase 30 anos, "quase de certeza que não vão dar" para pagar as suas despesas.

"Neste momento já sei quanto é que irei receber da Caixa Geral de Aposentações, descontei quase 40 anos uma parte do meu salários para a CGA como professor universitário e também descontei durante alguns anos como investigador da Fundação Calouste Gulbenkian e devo receber 1.300 por mês, não sei se ouviu bem 1.300 euros por mês”, disse Cavaco.

"Tudo somado o que irei receber do fundo de pensões do Banco de Portugal e da Caixa Geral de Aposentações quase de certeza que não dá para pagar as minhas despesas", acrescentou.



A sua opinião190
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado dis aliter visum 21.01.2012



a declaração de rendimentos de 2009 entregue pelo Presidente no Tribunal Constitucional, em Dezembro passado, comprova que recebeu nesse ano € 142.375,70 por trabalho dependente (Presidência) e € 140.601,81 de pensões (Banco de Portugal e Universidade Nova de Lisboa).
Portanto parece que Cavaco Silva perde receita ao optar pelas pensões.

Acontece, porém, que as pensões foram congeladas, não vão sofrer qualquer redução salarial.
Pelo contrário, o seu vencimento mensal bruto desceu de € 7.630,33 para € 7.248,81 em Julho passado, devido ao corte de 5% do PEC II, e para € 6.523,93 este mês, com o corte de 10% da lei de Orçamento do Estado.
Mais uma vez fica provado que Cavaco Silva sabe tomar óptimas decisões em matéria de finanças pessoais.

Confirma-se, a partir da declaração de rendimentos, que o Presidente recebe € 10.043 /mês de pensões como tem sido noticiado.
Já a remuneração mensal como presidente, que antes das medidas de austeridade era €7.630,33, não se pode calcular a partir desta declaração porque recebe despesas de representação que podem chegar aos € 2.962 mensais.


A questão é que, do ponto de vista ético, quem exerce funções públicas deve ser remunerado por essas funções, não como pensionista da CGA, da Segurança Social ou de Fundos de Pensões de instituições públicas, devendo o Presidente da República ser o primeiro a dar o exemplo.
Infelizmente Cavaco Silva toma as suas decisões financeiras como qualquer vulgar cidadão português, pondo sempre os seus interesses pessoais à frente dos interesses do país. Nunca foi, não é, nem nunca será capaz de orientar-se pelo referencial de ética que a suprema magistratura da nação exige, sendo tão ou mais responsável que qualquer um de nós pela falência do país.

http://cidadelusa.blogspot.com/2011/01/opcao-de-cavaco-silva.html

comentários mais recentes
Anónimo 25.01.2012

Se as tempestades matassem,muintos brutus da Cilva
já eram.
então não veêm que o nosso presidente,que foi eleito por maioria sem qualquer contestação,até o é gratuitamente.
Imaginem que em vez de Ser o PR de todos os Portugueses, decidia ficar em casa a coçar a DM
Será que NÃO GANHAVA O MESMO?
Tenham vergonha e sigam-LHE o exemplo

Napo£eao 22.01.2012

Da' pena ouvir os comentarios de rua e de cafe' a proposito do PR ! E quem e' que se colocou a jeito ? O marido da dona Maria, pois claro

Nunes 22.01.2012

Mas que troupe de artistas teve sempre o PSD:
Cavaco Silva accionista do BPN (o próprio).
Oliveira e Costa do BPN (o seu grande amigo amigo super especial e mentor de negócios que lhe vendeu a ele e a familiares inicialmente as acções do BPN muito mais baratas do que qualquer outra pessoa as podia comprar e lhas recomprou bastante mais caras pouco tempo antes do banco estar para ir ao fundo)(Igualmente o ajudou na compra duma célebre terreno para vivenda no Algarve ao preço da uva mijona que nenhum português teria a possibilidade de comprar por esse valor quase simbólico).
Dias Loureiro envolvido em negocios escuros com o BPN e que i8gualmente ajudaou o banco a ir mais rápidamente á falência ((Amigo do peito).
Valentim Loureiro - Mafiuoso diplomado (Amigo em tempos que já lá vão ?).
Isaltino Morais - Ladrão profissional do erário público ( Amigo em tempos que já lá vão ?).
Duarte Lima - Profissional do gamanço e possivel assassino (AAmigo em tempos que já lá vão ?)
Mira Amaral e o grande artista Cadilhe , etc. e tal um nº de nunca mais acabar de oportunistas, mentirosos e demagogos que se profissionalizaram através dos anos a delapidar o erário público em proveito próprio, dos seus e do seu partido (Não sei quais deles serão ainda seus amigos ?) .
Já me estava a esquecer do principal abutre deste país que este penso nunca foi grande amigo dele mas que é um dos principais responsáveis pelo esta das finanças publicas a que chegou o nosso país ou seja o cvelebérrimo Alberto João Jardim o maior rei de vendedores de banha da cobra que eu conheci em toda a minha vida. Enfim e para acabar não há dúvidas absolutamente nenhumas que este Presidente dxa Repubvlica que dsevia ser um exemplo para o País esteve sempre bem acompanhado por esta grande cambada de mafiosos.

flavito 22.01.2012

Foi o Sócrates que fez a lei que o obrigou a escolher entre a reforma e o salário. Cavaco poderia ter optado pelo salário, mas optou pela reforma. Ele lá sabe porquê. Agora deixou cair por completo a máscara de homem de grande estatura ética que ostentava e mostou-se tal como é: uma criatura mesquinha, um miserável. Também já se entende perfeitamente porque é que ele não descansou enquanto não derrubou o Sócrates.

ver mais comentários
pub