Zona Euro Cazeneuve é o novo primeiro-ministro de França

Cazeneuve é o novo primeiro-ministro de França

O até aqui ministro do Interior de França vai substituir Manuel Valls no cargo de primeiro-ministro depois de este se ter demitido para concorrer às presidenciais.
Cazeneuve é o novo primeiro-ministro de França
Reuters
Negócios 06 de dezembro de 2016 às 08:38

Bernard Cazeneuve, até aqui ministro do Interior do Governo francês, foi nomeado primeiro-ministro esta terça-feira, 6 de Dezembro, pelo presidente François Hollande.

"Manuel Valls apresentou a demissão Go governo ao Presidente da República, que a aceitou. O Presidente da República nomeou Bernard Cazeneuve como primeiro-ministro e pediu-lhe para formar o novo Governo" informou o Eliseu, num comunicado citado pelo Le Point. 

Cazeneuve, de 53 anos, substitui, desta forma, Manuel Valls, que se demitiu do cargo, na segunda-feira, para entrar na corrida à Presidência. Valls era primeiro-ministro desde Março de 2014, depois de, também ele, ter tido a pasta do Interior. 

"Sim, sou candidato à Presidência da República", afirmou Valls num discurso realizado ontem. "Chegou a hora de ir mais longe no meu compromisso. O sentido de Estado faz-me considerar que eu não posso ser primeiro-ministro, enquanto candidato. Deixo as minhas funções amanhã, porque quero ter toda a liberdade para propor um caminho a França".

 

"Espero" que esta candidatura leve "a esquerda até à vitória". "Mobilizem-se. Sejam muitos [a votar] no mês de Janeiro. Vou fazer com que ganhe tudo aquilo que nos une", acrescentou, citado pelo Le Fígaro.

 

Manuel Valls anunciou assim a sua candidatura, depois de François Hollande se ter afastado de uma nova eleição.

 

Valls vai concorrer às primárias em Janeiro e, se conseguir ser eleito, deverá enfrentar François Fillon, do Partido dos Republicanos, e Marine Le Pen, da Frente Nacional. As eleições presidenciais de França estão agendadas para Abril (primeira volta) e Maio (segunda volta) do próximo ano.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 06.12.2016


IGUALDADE PARA TODOS

Os cortes nas PENSÕES ATUAIS devem, obrigatoriamente, ser IGUAIS aos cortes nas PENSÕES FUTURAS!

comentários mais recentes
Anónimo 06.12.2016


IGUALDADE PARA TODOS

Os cortes nas PENSÕES ATUAIS devem, obrigatoriamente, ser IGUAIS aos cortes nas PENSÕES FUTURAS!

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub