Orçamento do Estado CDS condena devoluções em "suaves prestações até 2019" e impostos agravados já

CDS condena devoluções em "suaves prestações até 2019" e impostos agravados já

O CDS-PP considerou hoje que o Orçamento para 2018 "cria ilusões e vive de contradições", devolvendo "rendimentos em suaves prestações até Dezembro de 2019", mas piorando já a vida dos portugueses com "impostos indirectos injustificados e até agravados".
CDS condena devoluções em "suaves prestações até 2019" e impostos agravados já
Lusa 27 de novembro de 2017 às 17:53

"Este Orçamento cria ilusões e vive de contradições: devolve rendimentos em suaves prestações até Dezembro de 2019, mas piora já, hoje, a vida das pessoas com impostos indirectos injustificados e até agravados", afirmou a deputada Ana Rita Bessa.

 

No encerramento do debate do Orçamento do Estado para 2018, que o CDS-PP votará contra, Ana Rita Bessa acusou os partidos da maioria de esquerda de se terem atropelado uns aos outros durante a discussão na especialidade "para ver quem cravava a bandeira da popularidade, num jogo que se tornou perigosamente populista".




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Ze nabo 27.11.2017

Bem boa esta deputada, levava umas mangueiradas, já levou algumas para subir no aparelho do partido, mas continua toda tesuda....

Anónimo 27.11.2017

Passei por aqui só para lembrar que a candidata a deste partido acabou por entregar a pasta de vereadora e nunca lá apareceu. É assim o respeito que têm pelos 51 984 votos dos eleitores. Em relação aos impostos o IRS baixou e voltará a baixar para a classe média em 2018.

Tereza economista 27.11.2017

Por uma vez a direita tem razão, dá com uma mão e tira com as duas. O Estado está um monstro, gastador, incompetente e destruidor de riqueza.

pub