Conjuntura CDS-PP diz que crescimento da economia não chega à "expectativa criada"

CDS-PP diz que crescimento da economia não chega à "expectativa criada"

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, afirmou hoje que os números hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística relativamente ao crescimento da economia são bons, mas não chegam "àquilo que era a expectativa criada".
CDS-PP diz que crescimento da economia não chega à "expectativa criada"
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 30 de novembro de 2017 às 13:33
A economia portuguesa cresceu 2,5% no terceiro trimestre deste ano em termos homólogos e 0,5% face ao trimestre anterior, de acordo com os números hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

"Dois e meio é bom, no sentido em que o crescer é sempre bom", disse Assunção Cristas aos jornalistas, considerando, porém, que este número "não corresponde exactamente aquilo que era a expectativa que, entretanto, já se estava a criar de que poderia ser bastante mais do que isso".

Na opinião da centrista, isto "confirma a linha de que pode estar a acontecer uma tendência de desaceleração da economia portuguesa".

Assunção Cristas apontou, por isso, críticas ao ministro das Finanças, Mário Centeno, "que preparou um Orçamento do Estado que não olha para os estímulos à economia e que, de facto, deixa de lado aquilo que são as forças motoras de um crescimento económico sustentável, que são as empresas e o quadro em que as empresas se podem apoiar para desenvolverem a sua actividade".

A presidente do CDS-PP falava aos jornalistas à margem de uma visita à Polícia Municipal de Lisboa, que realizou enquanto vereadora do município, e na qual esteve acompanhada pelos restantes eleitos centristas.

Os números agora divulgados surgem em linha com a estimativa rápida das contas nacionais trimestrais relativas ao terceiro trimestre divulgada no passado dia 14 pelo INE.

No segundo trimestre, o Produto Interno Bruto (PIB) da economia portuguesa tinha registado um crescimento homólogo de 3,0% e uma evolução de 0,3% em cadeia.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub