Orçamento do Estado CDS recusa "austeridade à esquerda" que volta a esquecer segurança de pessoas

CDS recusa "austeridade à esquerda" que volta a esquecer segurança de pessoas

O líder parlamentar do CDS-PP, Nuno Magalhães, acusou esta sexta-feira o Governo de não ter aprendido a lição, voltando a esquecer a segurança das pessoas e a defesa do território num Orçamento de "austeridade à esquerda".
CDS recusa "austeridade à esquerda" que volta a esquecer segurança de pessoas
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 03 de novembro de 2017 às 18:28
"É um orçamento que, mais uma vez, esquece as áreas de soberania, a segurança de pessoas e bens e a defesa do território, que, irresponsavelmente, diminui ou não reforça, como estava obrigado, o investimento nas forças e serviços de segurança, nas Forças Armadas, na protecção civil ou nos agentes da justiça", defendeu Nuno Magalhães.

O líder da bancada centrista recusou uma proposta de Orçamento do Estado que, argumentou, "falha na confiança que é devida a um Estado que falhou, falhou gravemente uma e outra vez, que faltou aos portugueses no essencial e que não aprendeu a lição", numa referência aos incêndios deste ano que fizeram 109 vítimas mortais.

No encerramento do debate da generalidade da proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2018, Nuno Magalhães acusou ainda a maioria de viabilizar a "austeridade à esquerda", que "aumenta mais uma vez todos os impostos indirectos", com um objectivo de "manutenção do poder a todo o custo".



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
A GERINGONÇA FOI UMA BÊNÇÃO de DEUS. Há 2 semanas

CDS gosta de offhores e submarinos,o povo já vos topa.

DJ viajante Há 2 semanas

Durara enquanto durar, durara enquanto os EUA e a UE aguentarem, depois sera uma vez mais o mesmo.....gritos e mais gritos porque não quiseram preparar o povo para o futuro e o povo recusa-se a tal preparação. Continuaremos os burros da europa que nada entenderam.

pub