União Europeia Centeno assume presidência do conselho de governadores do BEI

Centeno assume presidência do conselho de governadores do BEI

O ministro das Finanças assumiu esta quarta-feira a presidência do conselho de governadores do Banco Europeu de Investimento, sucedendo no cargo ao responsável pelas Finanças da Polónia. O mandato tem a duração de um ano.
Centeno assume presidência do conselho de governadores do BEI
Negócios 24 de maio de 2017 às 18:34

Mário Centeno assumiu esta quarta-feira, 24 de Maio, a presidência do conselho de governadores do Banco Europeu de Investimento (BEI), informou através de comunicado o Ministério das Finanças. O mandato do ministro português das Finanças terá a duração de um ano, com Centeno a suceder no cargo ao homólogo polaco.

 

Ao contrário da possibilidade de Mário Centeno vir a liderar o Eurogrupo, uma decisão dependente de votação da parte dos países que integram a Zona Euro, a nomeação do ministro português decorre de um processo automático de rotação que, segundo as regras do BEI, segue a ordem alfabética (em inglês) dos Estados-membros da União Europeia.

 

Na nota enviada às redacções, as Finanças explicam que, no âmbito das competência de Centeno estará a presidência da "reunião anual do conselho de governadores – composto pelos restantes ministros das Finanças da União Europeia – que deverá ocorrer em maio de 2018, bem como a eventuais a eventuais reuniões extraordinárias do Conselho que venham a ser agendadas".

 

O BEI é uma instituição europeia criada em 1958 e tem como principal função promover o desenvolvimento do mercado comunitário, através de financiamentos concedidos a longo prazo.

 

 


A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 4 dias

Em Detroit, Vallejo e outros municípios dos EUA a falência originou cortes nas pensões de reforma e despedimentos de excedentários... Em Porto Rico vai pelo mesmo caminho. Grécia e Portugal são os senhores (drs) que se seguem. A verdade vem sempre ao de cima. Não vale a pena tentar tapar o sol com uma peneira. Resta saber por mais quanto tempo os agentes económicos sérios, honrados e inocentes irão continuar a ser extorquidos e pilhados pela casta dos prevaricadores.

Conselheiro de Trump Há 4 dias

Olha que pena,o do presidente do eurogroep acaba no principio do proximo ano.Nao se faz a tia.

pub
pub
pub
pub