Europa Centeno diz em Berlim que Portugal "é um dos mais importantes 'case study' na Europa"

Centeno diz em Berlim que Portugal "é um dos mais importantes 'case study' na Europa"

O ministro português das Finanças lembrou que se conseguiu "tirar a zona euro da crise" graças à "forte redução de riscos" e apontou Portugal como "exemplo de sucesso".
Centeno diz em Berlim que Portugal "é um dos mais importantes 'case study' na Europa"
Lusa
Lusa 17 de janeiro de 2018 às 16:30

O presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, apontou hoje Portugal como "um case study", depois de um encontro em Berlim com o seu homólogo alemão, o qual insistiu que "a solidariedade e a estabilidade" devem estar "de mãos dadas" na zona euro.

 

O ministro português das Finanças lembrou que se conseguiu "tirar a zona euro da crise" graças à "forte redução de riscos" e apontou Portugal como "exemplo de sucesso".

 

"Temos muitos exemplos de sucesso. Portugal é um dos mais importantes 'case study' na Europa nestes dias", afirmou.

 

O ministro alemão das Finanças, Peter Altmaier, considerou que "antes de sequer se começar a falar sobre partilhar riscos", se deve "assegurar que os riscos são reduzidos" e indicou que "nunca foi operacional que o sistema europeu de seguro de depósitos estivesse pronto no meio deste ano" até porque, sublinhou, "antes é preciso um acordo sobre a redução do risco".

 

"A Alemanha quer uma zona euro estável numa União Europeia forte. Por isso, temos de nos agarrar aos nossos princípios que são a solidariedade e a estabilidade, que têm de estar de mãos dadas, a responsabilidade e o controlo têm de ser mantidas juntas. É por isso que temos de completar a União Bancária e também temos de falar sobre como reduzir riscos", afirmou o ministro alemão.

 

Mário Centeno disse que "é preciso fazer mais" e que "há pacotes em discussão na Comissão Europeia, no Conselho e no Eurogrupo para reforçar o nível de redução de risco nos países" do euro, mas sublinhou preferir a palavra "gestão".

 

"Pessoalmente, prefiro a palavra "gestão" de risco porque se baseia numa visão mais sistémica de todo este processo. Estamos numa união monetária, isto implica responsabilidades e também partilhar o nosso futuro comum e temos de ser muito activos nisso. Por isso, precisamos de gerir activamente os riscos que existem nas nossas economias e essa é a agenda para os próximos meses", continuou.

 

Esta tarde, Mário Centeno vai participar numa conferência com o homólogo alemão no ministério das Finanças, na qual devem falar sobre os desafios fiscais mais urgentes que enfrentam os europeus, sobre o papel de um eventual Fundo Monetário Europeu e um orçamento próprio para a zona euro e sobre a política fiscal europeia, de acordo com a página do ministério alemão das Finanças.

 

Peter Altmaier é o primeiro ministro das Finanças da zona euro que Centeno visita desde que entrou oficialmente em funções como presidente do Eurogrupo, a 13 de janeiro, mas no dia da "passagem de testemunho", a 12 de janeiro, em Paris, encontrou-se com o homólogo francês, Bruno Le Maire.

 

Na véspera dessa "passagem de testemunho", Centeno tinha sido recebido pelo Presidente francês, Emmanuel Macron, no Palácio do Eliseu, e depois deslocou-se ao palácio de Matignon para uma reunião com o primeiro-ministro francês, Édouard Philippe.

 

No dia 22 de Janeiro decorre a primeira reunião do Eurogrupo sob a presidência de Mário Centeno, em Bruxelas.




pub