Zona Euro Centeno diz que cumprir metas "muda tudo", até opinião de Schäuble

Centeno diz que cumprir metas "muda tudo", até opinião de Schäuble

O ministro das Finanças, Mário Centeno, que esta quinta-feira voltou a ser chamado de "Ronaldo" pelo seu homólogo alemão, Wolfgang Schäuble, durante uma reunião do Eurogrupo, comentou que o sucesso no cumprimento das metas pelo país "muda tudo".
Centeno diz que cumprir metas "muda tudo", até opinião de Schäuble
Bruno Simão/Negócios
Lusa 15 de junho de 2017 às 23:05

"Portugal está a viver um momento muito positivo" na sua afirmação no processo de recuperação económica e financeira "e isso obviamente transmite-se à opinião de algumas pessoas, que aqui há uns meses era, infelizmente, outra. É muito positivo (…) que isso seja neste momento reconhecido ", declarou Mário Centeno aos jornalistas, no Luxemburgo.

 

Centeno falava no final de uma reunião do Eurogrupo, na qual foi saudado por Schäuble com um "Ronaldo", captado pelas câmaras de televisão, depois de o ministro alemão, na anterior reunião, em Maio passado, já ter afirmado que o ministro português era o "Ronaldo do Eurogrupo".

 

À entrada para o encontro, o ministro das Finanças alemão já elogiara Portugal, considerando que a intenção do Governo de pagar antecipadamente 10 mil milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional demonstra que o programa de assistência português "é uma história de sucesso".

 

Questionado sobre se é de desconfiar dos elogios de Schäuble, o ministro português disse que nunca se deve "desconfiar de elogios, principalmente quando lhes é reconhecido mérito".

 

"E é verdade que no crescimento económico, no crescimento do emprego, na queda do desemprego, na estabilização do sistema financeiro, através de captação de capital para a generalidade da banca portuguesa, se conseguiu mais neste ano e meio (do que nos anteriores), em particular na credibilidade, porque atingir as metas é aquilo que dá credibilidade a um país, e Portugal finalmente atingiu as metas a que se propôs, exactamente na medida em que se propôs (...) Cumprimos e isto muda tudo", declarou.

 

Sobre se o relacionamento com o ministro alemão é agora melhor, retorquiu que "a relação com Wolfgang Schäuble sempre foi uma relação profissional, de dois ministros das Finanças de dois países que obviamente se respeitam".

 

"Tínhamos e mantemos opiniões distintas sobre algumas das questões que se põem à Europa, mas isso não impede de todo que colaboremos de uma forma muito construtiva na sua construção. O que se trata aqui é de reconhecer que Portugal tem um desempenho muito positivo em muitas áreas e é isso que esses comentários revelam", concluiu.

 

Depois de participar hoje na reunião do Eurogrupo, Centeno estará presente na sexta-feira na reunião alargada aos 28, o Conselho Ecofin, que vai formalmente aprovar a saída de Portugal do Procedimento por Défice Excessivo, seguindo a recomendação do mês passado da Comissão Europeia.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 15.06.2017

Portugal precisa de governos capazes de fazer o que Macron promete fazer ("Ingressaremos gradualmente numa época em que ter um emprego vitalício baseado em tarefas que não são justificadas será cada vez menos sustentável - na verdade já estamos lá." - Emmanuel Macron) e Schäuble afirma que Schröder já fez na Alemanha ("Alemanha e a França estavam praticamente ao mesmo nível em termos de performance económica em 2003, antes de o antigo chanceler Gerhard Schröder ter implementado uma reforma na área laboral." - Wolfgang Schäuble).

comentários mais recentes
Ao contrário das imagens de outrora 16.06.2017

onde um ministro (M das F) subserviente ajoelhava não perante uma cadeira de rodas, mas de um colega. Hoje viu-se um MF conversar em pé de igualdade perante o mesmo colega de outrora, cada um no seu elemento, sentado o outro em pé. Nada de transcendente hoje, mas de significado importante para nós

fa 16.06.2017

Tenho pena que o Dr. Passos Coelho não tivesse escolhido o Dr. Centeno em vez do Dr. Victor Gaspar, pois não teriamos tido austeridade e viviamos no país das maravilhas, só com sorrisos e tachos

Anónimo 15.06.2017

Portugal precisa de governos capazes de fazer o que Macron promete fazer ("Ingressaremos gradualmente numa época em que ter um emprego vitalício baseado em tarefas que não são justificadas será cada vez menos sustentável - na verdade já estamos lá." - Emmanuel Macron) e Schäuble afirma que Schröder já fez na Alemanha ("Alemanha e a França estavam praticamente ao mesmo nível em termos de performance económica em 2003, antes de o antigo chanceler Gerhard Schröder ter implementado uma reforma na área laboral." - Wolfgang Schäuble).

pub
pub
pub
pub