Finanças Públicas Centeno diz que défice de 2,5% é "uma boa notícia"

Centeno diz que défice de 2,5% é "uma boa notícia"

O ministro das Finanças, Mário Centeno, congratulou-se hoje com o défice que se fixou em 2,5% do PIB até Setembro, considerando "uma boa notícia", que permite garantir que o país sairá do procedimento de défice excessivo.
Centeno diz que défice de 2,5% é "uma boa notícia"
Bruno Simão/Negócios
Lusa 23 de dezembro de 2016 às 13:00

O ministro das Finanças, Mário Centeno, congratulou-se hoje com o défice que se fixou em 2,5% do PIB até Setembro, considerando "uma boa notícia", que permite garantir que o país sairá do procedimento de défice excessivo.


"É uma boa notícia para a economia portuguesa", salientou o governante, numa declaração aos jornalistas, depois da divulgação pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) do défice orçamental das administrações públicas, que se fixou em 3.405,6 milhões de euros até Setembro, ou seja, 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB).

Em declarações aos jornalistas, no Ministério das Finanças, Mário Centeno disse que os dados garantem o cumprimento dos compromissos para que o país saia do procedimento de défice excessivo, realçando que com este crescimento "saudável e sustentável, cai assim mais um mito sobre a política orçamental deste Governo".

Mário Centeno deixou igualmente um recado aos que duvidaram da execução orçamental, alegando que existia "uma impossibilidade matemática de cumprimento das metas", criticando quem não fez "o seu trabalho" e se limitou "a recitar números pré-construídos sem aderência à realidade".

De acordo com as contas trimestrais por sector institucional, publicadas hoje pelo INE, em contas nacionais, a óptica que conta por Bruxelas, nos três primeiros trimestres de 2016, "o saldo global das administrações públicas fixou-se em -3.405,6 milhões de euros, representando -2,5% do PIB", valor que compara com um défice de 3,4% em igual período do ano passado.

O INE explica que esta melhoria do saldo foi determinada por um aumento da receita total em 0,8%, mas também por uma diminuição da despesa em 1,1%.

Do lado da receita, destaca o aumento em 5,6% dos impostos sobre a produção e importação e de 3,6% das contribuições sociais. Na despesa, o decréscimo da despesa de capital em 32,7%, que representou 1,7% do PIB (2,7% do PIB no mesmo período do ano anterior), verificando-se uma diminuição de 28,4% no investimento.

Segundo o gabinete de estatísticas, a capacidade de financiamento da economia foi de 0,9% do PIB no ano terminado no terceiro trimestre, mais 0,1 pontos percentuais do que a observada no trimestre anterior.

(Notícia actualizada às 15:15 com mais informação)

 




A sua opinião15
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 23.12.2016


Ladrões PS - PCP - BE - - ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


As pensões douradas da CGA são SUBSIDIADAS em 500€, 1000€, 1500€ e mais… POR MÊS.


ESTAS PENSÕES DEVEM TER CORTES IMEDIATOS.

comentários mais recentes
João Cerqueira 23.12.2016

Nas más fica calado. Como por exemplo, a dívida e os juros.

Antonio Silva 23.12.2016

Aqui vai um comentario feito por um nabo politico, mas que aprendeu a fazer contas...O anterior governo, em quatro anos e com a troika cá dentro a mandar nisto tudo, reduziu em media dois pontos por ano... estes atrazadinhos reduzem meio ponto e estao a cantar vitoria... cada burro que até dá pena.

Jose Brito 23.12.2016

Estou a ficar farto destes malabaristas da Geringonça. O defice estava em 11%(2011) e veio para 3% em Dezembro de 2015.A Geringonça consegue abater 0,5% e pensam que que fazem uma grande habilidade.Mesmo assim ainda tiveram de aumentar o imposto sobre os combustiveis,IMI,etc. Eu continuo a ganhar o mesmo que ganhava em 2015. Afinal quem teve aumentos nos vencimentos e reformas ???? !!!!

Francisco Vale da Silva 23.12.2016

A huma Sra na foto que está a hohar desconfiada mintirosos ??????

ver mais comentários
pub