Finanças Públicas Centeno diz que Eurogrupo teve posição "construtiva" sobre Orçamento

Centeno diz que Eurogrupo teve posição "construtiva" sobre Orçamento

O Eurogrupo concordou hoje com a avaliação da Comissão Europeia de que o OE2017 está em risco de incumprimento com os requisitos do Pacto de Estabilidade e Crescimento,, mas o desvio face à trajectória recomendada é considerado ligeiro.
Centeno diz que Eurogrupo teve posição "construtiva" sobre Orçamento
Miguel Baltazar
Lusa 05 de dezembro de 2016 às 14:20

O ministro das Finanças, Mário Centeno, disse que os seus parceiros da Zona Euro têm uma posição "construtiva" sobre o Orçamento do Estado para 2017 (OE2017), mas admitiu haver "metas muito exigentes".

Numa declaração aos jornalistas em Bruxelas, nesta segunda-feira, 5 de Dezembro, o ministro disse que "a posição do Eurogrupo face ao orçamento português foi muito construtiva e positiva". Após ter-se reunido com os seus homólogos da Zona Euro num encontro onde foi debatido o projecto orçamental português para o próximo ano e que teve por base os pareceres adoptados pela Comissão Europeia em 16 de Novembro passado, Mário Centeno indicou também que "Portugal tem neste momento um conjunto de indicadores económicos muito positivos que vêm em crescendo, em aceleração desde o início do ano", mas que não é totalmente reflectido nesta avaliação do Eurogrupo.

"Continuaremos a trabalhar no compromisso de atingir as metas orçamentais estabelecidas no início do ano,", salientou o responsável pelas Finanças.


"Temos um Orçamento que está aprovado pela Assembleia da República e que tem de novo metas muito exigentes para todos mas cujo cumprimento é essencial", adiantou.


O Eurogrupo concordou hoje com a avaliação da Comissão Europeia de que o OE2017 está em risco de incumprimento com os requisitos do Pacto de Estabilidade e Crescimento (PEC), mas que o desvio face à trajectória recomendada é ligeiro.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub