Europa Centeno na primeira reunião como líder do Eurogrupo: "Temos que meter mãos à obra"

Centeno na primeira reunião como líder do Eurogrupo: "Temos que meter mãos à obra"

Mário Centeno abordou os vários temas que vão marcar a agenda europeia nos próximos tempos, como a reforma da Zona Euro, antes de dar início à sua primeira reunião como presidente do Eurogrupo.
Stephanie Lecocq / EPA Stephanie Lecocq / EPA Lusa Lusa Lusa Lusa Lusa Lusa
André Cabrita-Mendes 22 de janeiro de 2018 às 13:49

Os ministros das Finanças da Zona Euro vão ter uma agenda ocupada nos próximos tempos. A antevisão foi feita por Mário Centeno momentos antes do arranque da sua primeira reunião como líder do Eurogrupo.

"A agenda da União Económica e Monetária que devemos desenvolver nos próximos meses com um objectivo que é chegar à cimeira de Junho com decisões para tomar. É um conjunto de tópicos muito vasto que vamos desenvolver nos próximos meses e que começaremos a abordar hoje. Há um mandato claro que sai da cimeira de Dezembro sobre esta matéria. Temos que pôr mãos à obra e é isso que faremos daqui a uns minutos", disse o presidente do Eurogrupo esta segunda-feira, 22 de Janeiro, em Bruxelas, em relação à reforma da Zona Euro que foi debatida durante a cimeira que teve lugar no mês passado.

No primeiro encontro como líder dos 19 ministros das Finanças do Euro, Mário Centeno vai estar na primeira vez no papel de avaliador e de avaliado, pois o Eurogrupo vai debater o relatório da sétima avaliação pós-programa a Portugal.

"Vamos ouvir seguramente palavras de grande encorajamento porque é isso que temos ouvido ultimamente. Existe um sentimento positivo sobre a economia portuguesa. Vamos ter uma boa mensagem ", afirmou Mário Centeno, agora no papel de ministro das Finanças de Portugal

A revisão do programa de ajustamento da Grécia também está na agenda da reunião desta segunda-feira em Bruxelas.

"Vamos ouvir do lado das instituições o ponto de situação do programa grego. Esperamos concluir a terceira revisão do programa com a informação que receberemos hoje. Vão ser dados passos muito firmes nesse sentido. Há uma grande determinação das autoridades gregas e serão boas notícias para a população grega", afirmou o novo chefe dos ministros das Finanças da Zona Euro.

Em relação ao alargamento da Zona Euro, Mário Centeno destacou que "politicamente é muito importante que possamos olhar para a expansão da Zona Euro com muito optimismo. Temos que criar condições para que isso aconteça".

E deu o exemplo da Bulgária. "Há um conjunto de critérios que a Bulgária satisfaz, precisamos de fazer uma análise conjunto se tal for solicitado pelas autoridades búlgaras".

Espanha apresenta candidatura ao BCE

À chegada ao Eurogrupo, o ministro da Economia e Finanças espanhol confirmou que o seu país vai apresentar uma candidatura para o comité executivo do Banco Central Europeu (BCE).


"Espanha vai apresentar uma pessoa para a presidência do BCE. Há um prazo de duas ou três semanas para apresentar candidaturas", disse Luís de Guindos esta segunda-feira, 22 de Janeiro, em Bruxelas.

O ministro do Governo de Mariano Rajoy defende que Espanha deve "recuperar o seu lugar no comité executivo do BCE".

Recorde-se que cinco dos sete principais cargos do BCE vão ser desocupados até ao final de 2019. O primeiro a sair vai ser o português Vítor Constâncio que deixa o cargo em Junho.

Em Dezembro Mariano Rajoy avisou que pretendia nomear um candidato, depois de Espanha ter estado ausente durante cinco anos do conselho que elabora e implementa a política monetária na Zona Euro.

Luis de Guindos rejeitou comentar se ele próprio seria o nome que o Governo espanhol iria apresentar para um lugar no BCE.

O ministro destacou também que os cinco membros do BCE que cessam funções são homens e que alguns dos novos nomes podem ser mulheres.

"Acredito que é importante e é uma questão fundamental. Todos os que vencem os mandatos são homens e há uma possibilidade de avançar neste aspecto", afirmou Luis de Guindos.

O ministro espanhol já terá assegurado inclusivamente o apoio do Governo alemão para substituir Vítor Constâncio no BCE, conforme avançou o El Mundo em Setembro.

(Notícia actualizada às 14:21)




pub