Função Pública Centeno responde ao FMI: Valorização salarial é para manter

Centeno responde ao FMI: Valorização salarial é para manter

O ministro das Finanças, Mário Centeno, desvalorizou hoje a recomendação do Fundo Monetário Internacional (FMI) de contenção da despesa com salários na Administração Pública, garantindo que a aposta do Governo na valorização salarial é inquestionável.
Centeno responde ao FMI: Valorização salarial é para manter
Lusa 15 de setembro de 2017 às 17:54
"Ao FMI, o que eu digo é que desde 2014 a massa salarial, o conjunto de salários pagos em Portugal, aumentou 14%. Destes 14%, 11% foram crescimento do emprego e apenas 3% crescimento do salário médio. Estes números mostram que a economia portuguesa está em progresso muito claro, e este progresso faz-se com ganho de emprego", disse, em Talin.

Centeno reagia, à saída de uma reunião informal de ministros das Finanças da zona euro e da UE, ao Relatório da Missão do Artigo IV do FMI, que se realizou de 19 a 29 de Junho passado, no qual a instituição defende a contenção da despesa com salários na Administração Pública, alertando para que a factura vai aumentar com o descongelamento gradual das carreiras da função pública a partir de 2018.

"O resultado que temos do crescimento médio do salário mostra que o aumento do emprego é porque as empresas estão a empregar mais pessoas e a pressão salarial não é muito significativa. E porquê? Porque vínhamos a perder população -- Portugal durante 5 anos perdeu população activa -, esse processo terminou em meados de 2016, temos consecutivamente vindo a recuperar, e isto é notório na evolução do emprego", afirmou.

"Aos trabalhadores da administração pública, o que eu posso dizer é que a determinação do Governo na valorização do emprego, na valorização salarial é inquestionável e não vai sofrer nenhuma alteração", declarou.



A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 17.09.2017

o chorrilho de mentiras dos xuxialistas continua. o compadrio continua. os escandalos, favores, viagens pagas, incompetencia, continua.

luis 17.09.2017

Sr Ministro, concordo mas exijam responsabilidade pois a administração pública está um caos desde a proteção civil que devia ser extinta ao SEF, ASAE, Institutos, observatórios etc. Organize o Estado caótico.

Pierre Ghost 17.09.2017

...mais informo que estou de olho no relatòrio e contas do PS !!!
Por incrivel que pareça...em 2016 apresentaram um saldo positivo..e com tendencia a continuar a subir!!!
Queres ver que é o esultados da doação do Banif ao Santander ???!!..em forma de comissors !!! ??

Pierre Ghost 16.09.2017

Porcos...assasinos!!!
Desviam dinheiro do investimento e dos demais portugueses...para alimentar os parasitas da função publica !!
É necessario manter feliz o eleitorado !!
Não é ??? Meu badalhoco...metecias levar duas chapadas bem dadas !!!

ver mais comentários
pub