Orçamento do Estado Centeno: "A vida muda e nós temos que nos adaptar a ela"

Centeno: "A vida muda e nós temos que nos adaptar a ela"

Em entrevista ao Negócios, o ministro das Finanças defende que a redução faseada da sobretaxa não é um incumprimento de um compromisso do Governo.
O facto de a sobretaxa de IRS não terminar a 1 de Janeiro para todos os contribuintes não representa o incumprimento de um compromisso do Governo. Quem o defende é Mário Centeno, em entrevista ao Negócios a propósito da apresentação do Orçamento do Estado para 2017.

O ministro das Finanças reitera que os compromissos assumidos são para cumprir e serão cumpridos mas que deve haver uma hierarquização dos mesmos, em articulação com a realidade económica e financeira do país. 

"A economia e a vida muda. E nós temos de nos adaptar a ela", afirma Mário Centeno, numa extensa entrevista que poderá ler na íntegra na edição de segunda-feira do Jornal de Negócios, dedicada ao Orçamento do Estado para 2017.



A sua opinião96
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas

Será que Centeno diz isto com paternalismo, por ser urso, ou porque está a gozar com o comum do cidadão?

comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas



PS DEIXA MORRER UTENTES DO SNS... PARA DAR MAIS DINHEIRO À FP:


- PS aumenta despesa com salários da FP em 500 milhões de Euros;

- PS reduz horário da FP para 35 horas;

- PS corta orçamento dos Hospitais Públicos.

rui.silva04321 Há 3 semanas

Este cara de burro, que é o que é. Agora só falta dizer que está a rezar para que a economia mundial vá a baixo para depois ter desculpa para cumprir as promessas que fez.

Anónimo Há 3 semanas

CABROES:tiraram o pais fora do comboio que gira a volta do mundo,e vem agora falar em colapsos,nem um apiadeiro temos,DESGRACADO.

Anónimo Há 3 semanas

Estes "jovens" andam a tentar gerir o Portugal podre que a geração de reformados que ainda pululam nos partidos llhes legaram. Estão prisioneiros de um passado e não teem a coragem de construir um futuro.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub