Ambiente Centro do furacão Ophelia está a afastar-se dos Açores

Centro do furacão Ophelia está a afastar-se dos Açores

O centro do furacão Ophelia está a afastar-se dos Açores, mas continua a condicionar o estado do tempo nas ilhas de Santa Maria e de São Miguel, anunciou hoje o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).
Centro do furacão Ophelia está a afastar-se dos Açores
DR/ESA
Lusa 15 de outubro de 2017 às 10:26
Em comunicado, o IPMA adianta que às 21:00 locais de sábado (mais uma hora em Lisboa), o centro do ciclone, designação meteorológica que engloba tempestades tropicais e furacões de categorias 1 a 5, localizava-se a 146 quilómetros a sudeste de Santa Maria, "com deslocamento para nordeste a 44 quilómetros/hora".

Embora o centro do furacão se esteja a afastar do arquipélago, este continua "a condicionar o estado do tempo" nestas duas ilhas do grupo oriental, adianta o IPMA.

"O ciclone Ophelia está classificado como furacão de categoria 3 com vento médio de 185 quilómetros/hora e rajadas e 220 quilómetros/hora na sua zona mais activa", adianta o comunicado, disponibilizado na página da rede social Facebook da delegação regional dos Açores do IPMA.

Às 22:00 de sábado registaram-se 52 milímetros de precipitação acumulados em seis horas na ilha do Pico, do grupo central dos Açores, e 43 milímetros no Nordeste, em São Miguel.

A aproximação do furacão Ophelia levou o IPMA a emitir vários avisos meteorológicos.

Em São Miguel e Santa Maria, há aviso amarelo para precipitação e agitação marítima até às 06:00 locais

Estas duas ilhas mantêm-se sob aviso laranja para vento também até às 06:00, com vento médio superior a 65 quilómetros/hora e rajadas que poderão ultrapassar os 100 quilómetros/hora, em especial na ilha de Santa Maria, passando depois daquela hora a amarelo até às 12:00.

O chefe do Governo Regional, Vasco Cordeiro, acompanhou o evoluir da situação no Palácio de Santana, sede da presidência do executivo açoriano, desde as 18:00 de sábado, quando entrou em vigor o aviso vermelho do IPMA.

Segundo fonte da presidência, Vasco Cordeiro tem estado também em contacto telefónico com presidentes de câmara de São Miguel e Santa Maria, assim como com o presidente do Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores.

Em Santa Maria, permanecem os secretários regionais da Saúde, Rui Luís, que tutela a Protecção Civil, e dos Transportes e Obras Públicas, Ana Cunha.

O presidente da Protecção Civil regional, tenente-coronel Carlos Neves, adiantou à Lusa que foram registadas 11 ocorrências "de pouca relevância", exemplificando com quedas de árvores, obstrução de vias, pequenas inundações em habitações e a queda de um painel publicitário, "mas sem danos dignos de registo".

"No grupo central [Pico, Terceira, Faial, Graciosa e São Jorge] a situação já é de normalidade e no grupo central é expectável um desagravamento do estado do tempo a partir do início da madrugada", explicou Carlos Neves.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub