Saúde Centro Hospitalar de Setúbal constrói novo edifício para serviço de urgência geral e pediátrica

Centro Hospitalar de Setúbal constrói novo edifício para serviço de urgência geral e pediátrica

O Centro Hospitalar de Setúbal anunciou esta quinta-feira que está a preparar um plano de remodelação das suas instalações, que inclui a construção de um novo edifício para o serviço de urgência geral e pediátrica.
Centro Hospitalar de Setúbal constrói novo edifício para serviço de urgência geral e pediátrica
Ana Brígida
Lusa 03 de agosto de 2017 às 21:38

"De acordo com os estudos efectuados e sustentados numa rigorosa análise de custo-oportunidade foi aprovada pela tutela a construção de um novo edifício, para dar resposta aos utentes da área de influência desta instituição, já que a estrutura actual está obsoleta e sem margem para crescimento", refere o centro hospitalar em comunicado.

 

O centro hospitalar salienta que esta obra é encarada como uma oportunidade para posterior "relocalização de outras áreas assistenciais com optimização funcional dos edifícios existentes, já que comporta também um piso de estacionamento e dois pisos para afectação a outros serviços".

 

A par deste investimento estrutural prevê-se ainda a substituição e inovação de diverso equipamento médico, a remodelação da rede de ar condicionado, a remodelação da Unidade de Cuidados Especiais Neonatais e a centralização das técnicas de cardiologia.

 

O investimento em instalações e equipamentos representa um valor de 11 milhões de euros, a investir em dois anos, uma parte das quais co-financiada por entidades externas (Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional Lisboa e Vale do Tejo - CCDRLVT).

 

"Para além deste investimento, o Centro Hospitalar de Setúbal continua a apostar no reforço do quadro de pessoal de forma a garantir uma resposta cada vez mais ajustada às necessidades da população", acrescenta.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 03.08.2017

Pois! mas se for para continuar a ter lá médicos não portugueses (estou a ser simpático) que nem a lingua falam, (o que acontece hoje) vale mais estarem quietos...

pub
pub
pub
pub