Bolsa CEO da bolsa alemã investigado por suspeitas de utilização de informação privilegiada

CEO da bolsa alemã investigado por suspeitas de utilização de informação privilegiada

O escritório e a casa do CEO da bolsa de valores da Alemanha foram alvo de buscas judiciais devido a suspeitas de que Carsten Kengeter tenha recorrido a informação privilegiada em seu benefício.
CEO da bolsa alemã investigado por suspeitas de utilização de informação privilegiada
Reuters
Negócios 02 de fevereiro de 2017 às 12:42

A compra de 4,5 milhões de euros em acções da bolsa de valores da Alemanha (Deutsche Börse) pelo CEO da empresa, Carsten Kengeter, está a ser investigada pelas autoridades germânicas devido a suspeitas de utilização em proveito próprio de informações privilegiadas, adianta esta quinta-feira, 2 de Fevereiro, o jornal Deutsche Welle.

 

Kengeter comprou acções da Deutsche Börse no dia 14 de Dezembro de 2015, cerca de dois meses antes da fusão entre a bolsa germânica e a bolsa londrina, London Stock Exchange (LSE), operação concluída no dia 23 de Fevereiro de 2016. Neste período os títulos da Deutsche Börse valorizaram perto de 7%.

 

A agência Bloomberg acrescenta que em comunicado emitido esta quinta-feira, a bolsa alemã já confirmou que as autoridades judiciais de Frankfurt estão a investigar a compra de acções realizada por Kengeter a menos de dois meses de concretizada a operação de fusão com a LSE.

 

Ainda segundo a Bloomberg, a investigação em curso não coloca em risco a fusão da bolsa alemã com a LSE. As autoridades germânicas suspeitam que o CEO da bolsa alemã já tivesse conhecimento de que a fusão com a LSE poderia concretizar-se aquando do investimento de 4,5 milhões de euros em acções da Deutsche Börse.

 

A agência Reuters refere que as conversações entre as administrações da Deutsche Börse e a LSE estariam em curso pelo menos desde o Verão de 2015.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub