Ambiente Cerca de 1.500 operacionais no combate a sete incêndios no Norte e Centro

Cerca de 1.500 operacionais no combate a sete incêndios no Norte e Centro

Cerca de 1.500 operacionais estavam envolvidos hoje, pelas 15:00, no combate a sete incêndios considerados importantes pela Autoridade Nacional de Prevenção Civil (ANPC), nos distritos de Braga, Bragança, Coimbra, Leiria, Viseu e Vila Real.
Cerca de 1.500 operacionais no combate a sete incêndios no Norte e Centro
Reuters
Lusa 08 de outubro de 2017 às 15:30
No total, as operações relacionadas com incêndios, incluindo os que estão em fase de resolução e em conclusão, mobilizavam, à mesma hora, 2.490 operacionais, com o envolvimento de 739 meios terrestres e dez meios aéreos, segundo a página da ANPC na Internet.

Dos incêndios com mais de uma centena de bombeiros, o que começou pelas 23:30 de sexta-feira no concelho de Pampilhosa da Serra, no distrito de Coimbra, continuava a ser a ocorrência mais importante, com a mobilização de 571 operacionais, 174 meios terrestres e três meios aéreos.

Em Mortágua, no distrito de Viseu, o incêndio que começou há 24 horas estava a ser combatido por 276 operacionais, com o auxílio de 88 meios terrestres.

No concelho de Alvaiázere, Leiria, estavam mobilizados 256 operacionais, 77 meios terrestres e dois meios aéreos no combate a um incêndio que começou às 15:42 de sábado.

Já no concelho de Vila Nova de Paiva, em Viseu, o fogo que começou pelas 15:20 de sábado estava a ser combatido por 124 operacionais, com o apoio de 42 meios terrestres e de dois meios aéreos.

Os outros incêndios considerados importantes pela ANPC atingem os concelhos de Bragança (no distrito com o mesmo nome), Terras de Bouro (Braga) e Ribeira de Pena (Vila Real).

Entre Janeiro e Setembro deste ano, arderam 215.988 hectares de floresta em Portugal, mais 174 por cento do que a média dos últimos dez anos, segundo dados do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

"O ano de 2017 apresenta, até ao dia 30 de Setembro, o 5.º valor mais baixo em número de ocorrências e o valor mais elevado de área ardida desde 2007", refere o ICNF num relatório divulgado na sexta-feira.

Face às condições meteorológicas adversas, com pouca precipitação e a consequente situação de seca, o Governo prolongou ate 15 de Outubro o período crítico dos incêndios florestais, que normalmente termina a 30 de Setembro.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub