Política César diz que PSD despejou princípios "esgoto abaixo" para tentar perturbar "a vida dos outros"

César diz que PSD despejou princípios "esgoto abaixo" para tentar perturbar "a vida dos outros"

O líder parlamentar do PS, que se referia ao caso TSU, fala da existência de uma "confluência esmagadora" na esquerda. Em 1200 votações, argumenta, PS votou em 133 casos de forma dissonante com o resto da esquerda."
César diz que PSD despejou princípios "esgoto abaixo" para tentar perturbar "a vida dos outros"
Lusa 02 de fevereiro de 2017 às 15:32
O líder parlamentar do PS acusou hoje o PSD de "despejar" os seus princípios "esgoto abaixo" para tentar perturbar os partidos que apoiam o Governo, defendendo que a realidade mostra uma "confluência esmagadora" na esquerda.

"Desde o início da legislatura até à votação da Taxa Social Única (TSU) verificaram-se cerca de 1200 votações, entre projectos e propostas de lei e resolução. Desses 1200, apenas em 133 casos nós votámos de forma dissonante com os partidos à nossa esquerda", sublinhou Carlos César, falando aos jornalistas no parlamento.

O chefe da bancada do PS e também presidente do partido havia sido questionado sobre divergências na posição socialista e dos parceiros da esquerda, nomeadamente o PCP, em torno da Carris e da atribuição da gestão da empresa à Câmara de Lisboa.

"Não dispensamos a nossa identidade, os partidos que se envolvem no apoio ao Governo têm diferenças", admitiu César, que valorizou todavia a "confluência esmagadora" de PS, comunistas, Bloco de Esquerda e "Os Verdes" "naquilo que tem sido o conjunto de decisões tomadas pelo parlamento".

E concretizou, agora dirigindo-se ao maior partido da oposição: "O PSD despejou os seus princípios por um esgoto abaixo. Pouco lhes interessa saber o que estão a votar, desde que procurem um objectivo, que é o de evidenciar num momento ou noutro uma divergência nos partidos que apoiam o Governo. É uma triste função, essa do PSD, a de abdicar de si próprio para tentar perturbar a vida dos outros".

Carlos César falou aos jornalistas no final de uma reunião de cerca de duas horas da bancada parlamentar do PS.



A sua opinião43
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas


A geração rasca… de esquerda

FP – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

"Os trabalhadores que lutam, não o fazem por privilégios mas sim por direitos", dizem os FP.

COMO SÃO PAGOS OS “DIREITOS” DOS FP?

Através dos aumentos de impostos... que representam um corte no salário dos trabalhadores do privado (que não têm esses direitos)!

CONCLUSÃO: Os privilégios de uns, são pagos com o SACRIFÍCIO dos outros!

comentários mais recentes
investidor1 Há 3 semanas

https://goo.gl/forms/3J12TVuOqjtlvqIP2

Obrigado!

uma vergonha Há 3 semanas

Esquerda une-se para chumbar audição de Armando Vara.

uma vergonha Há 3 semanas

Esquerda une-se para chumbar audição de Armando Vara.

uma vergonha Há 3 semanas

Esquerda une-se para chumbar audição de Armando Vara.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub