Orçamento do Estado CGTP valoriza reposição de rendimentos mas quer mais

CGTP valoriza reposição de rendimentos mas quer mais

A CGTP valorizou hoje a política de reposição de rendimentos prevista na proposta de Orçamento do Estado para 2017, mas considerou que o documento precisa de ser melhorado para assegurar as mesmas condições aos funcionários públicos.
CGTP valoriza reposição de rendimentos mas quer mais
Miguel Baltazar
Lusa 15 de Outubro de 2016 às 01:59

"Este Orçamento do Estado (OE) prossegue a política de reposição de rendimentos, que nós valorizamos, mas precisa de ser valorizado em sede de especialidade, e nós iremos apresentar propostas nesse sentido", disse à agência Lusa o secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos.

 

Arménio Carlos considerou que a reposição dos rendimentos dos portugueses é visível em medidas como a actualização das pensões, a eliminação da sobretaxa de IRS, "ainda que gradual", a oferta de livros escolares no primeiro ciclo e no respeito pela contratação colectiva no Sector Empresarial do Estado (SEE), que permitirá a recuperação do valor do trabalho extraordinário e do trabalho nocturno.

 

O sindicalista lamentou que o mesmo não tenha acontecido em relação aos funcionários públicos, que vão manter os cortes no valor do trabalho extraordinário e tiveram um "aumento do subsídio de refeição insuficiente".

 

O líder da CGTP criticou ainda que a proposta de OE "continue a não tocar nos intocáveis", referindo-se nomeadamente às Parcerias Público -- Privadas (PPP). 

 

O Governo apresentou na sexta-feira a proposta de Orçamento do Estado de 2017 que prevê um crescimento económico de 1,5%, um défice de 1,6% do PIB, uma inflação de 1,5% e uma taxa de desemprego de 10,3%.

 

Para este ano, o executivo liderado por António Costa piorou as estimativas, esperando agora um crescimento económico de 1,2% e um défice orçamental de 2,4% do PIB.




A sua opinião15
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Paulo Ferreira Há 3 semanas

Se hoje existe condiçoes para repor algum rendimento foi graças às politicas PSD nos ultimos 4 anos!!!Não façam comparaçoes com legislaturas que não são comparaveis!!!O anterior governo teve a troica em cima e tinha que cumprir o memorando!!

comentários mais recentes
Albino Almeida Há 3 semanas

Estes sujeitos têm que manter as suas mordomias e a dos seus correligionários enquanto isso acontecer está tudo bem.

Isabel Eusébio Há 3 semanas

é só p fp

Luis Moreira Há 3 semanas

ESTÁ A FALAR PARA NÓS OU PARA A MARIONETE

Kaifa Quaresma Há 3 semanas

Este comuna é que a sabe toda. Uma vidinha na boa com umas aparições públicas aqui e ali, treinadas frente ao espelho em casa e venha o meu que o resto é conversa. Não tem chefes, aborrecimentos e leva a vidinha na maior.

ver mais comentários
pub