Empresas China bate recorde de pedidos de registo de patentes

China bate recorde de pedidos de registo de patentes

O "país do meio" é o primeiro a receber mais de um milhão de registos de patentes no espaço de um ano.
China bate recorde de pedidos de registo de patentes
Reuters
Negócios 24 de Novembro de 2016 às 16:32

Números divulgados pela Organização Mundial da Propriedade Intelectual (WIPO na sigla em inglês) referem que a China recebeu mais de um milhão (1.101.864) de registos de patentes em 2015. O número significa 40% do total global e é superior aos processos apresentados pelo conjunto dos três países seguintes com mais registos - Estados Unidos, Japão e Coreia.

De acordo com a instituição, os números revelam níveis "extraordinários" de inovação, superando as expectativas de quem acreditava que os números apresentados pelo país se encontravam distorcidos devido às metas estabelecidas pelo governo local.

Francis Gurry, director-geral daquela agência das Nações Unidas, afirma que a China tem feito da inovação uma parte central da sua estratégia económica, refere o Financial Times. E admite que os números provam o "domínio da Ásia como a origem da actividade de registo de propriedade intelectual", uma vez que os países deste continente receberam mais de 60% do total de registos no mundo.

"O governo chinês continua a querer que as pessoas registem patentes e elas têm recompensas explícitas e implícitas para tal", refere Erick Robinson, advogado de patentes em Pequim, salientando que a qualidade das patentes chinesas têm vindo a melhorar rapidamente.

Yang Yuzhou, advogado de patentes na Dacheng Law em Shangai, refere que na China, ao contrário dos Estados Unidos, reconhecem-se patentes de "modelos de utilidade". Para além disso, sublinha Yuzhou, submeter patentes na China é um processo mais barato do que nos Estados Unidos e no Japão.

Em termos de jurisdição, avança ainda o Financial Times, o país tem vindo a tornar-se cada vez mais atractivo em casos de infracção de patentes. Em causa está a rapidez com que o sistema judicial lida com os casos. As empresas cujas patentes tenham sido roubadas têm garantias de que os infractores ficam proibidos de as revendam dentro ou fora do país.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
mario Há 2 semanas

Os sindicatos e os governos deviam ler estas notícias. Esta globalização só tem favorecido os Grandes grupos econômicos e algumas indústrias europeias em detrimento de milhares de empresas que faliram. Quem manda no Mundo é o dinheiro e cada dia está mais concentrado devido à globalização em curso.

pub