Economia Christoph Lakner: "Rentistas puros sem rendimento de trabalho quase desapareceram"

Christoph Lakner: "Rentistas puros sem rendimento de trabalho quase desapareceram"

  "O rendimento do trabalho é hoje distribuído de forma mais desigual, o que significa que a 'classe trabalhadora' é hoje muito mais heterogénea", explica o economista e investigador no Banco Mundial Christoph Lakner.
Christoph Lakner: "Rentistas puros sem rendimento de trabalho quase desapareceram"
Nuno Aguiar 07 de janeiro de 2018 às 17:37

Quão forte é a hipótese de que a descida de impostos provocou uma maior ligação entre trabalho e capital?

Em primeiro lugar, importa dizer que não estou a dar uma estimativa de causalidade, portanto não estou a argumentar que impostos mais baixos provocaram uma associação mais forte. O 'paper' simplesmente reconhece que esta maior associação coincidiu com uma forte queda das taxas marginais de impostos sobre o rendimento. Embora eu ache que a explicação é plausível, é pouco provável que seja a única. Por exemplo, as mudanças tecnológicas e a crescente globalização ocorreram pela mesma altura.

 

Que consequências ideológicas se podem tirar do facto de capitalistas e pessoas com salários altos serem cada vez mais as mesmas pessoas?

A distinção clássica tornou-se certamente mais complicada. Para os economistas clássicos, era claro que os capitalistas eram ricos e o trabalhadores eram pobres, o que ligava a distribuição pessoal do rendimento (ricos vs. pobres) à distribuição funcional (capital vs. trabalho). Isto tornou-se mais complicado por vários motivos: o rendimento do trabalho é hoje distribuído de forma mais desigual, o que significa que a "classe trabalhadora" é hoje muito mais heterogénea. Rentistas puros sem rendimento de trabalho quase desapareceram. A propriedade de capital também se tornou de alguma forma mais abrangente, criando a classe média.

 

Diria que a única forma de inverter esta tendência de desigualdade crescente é voltar aos níveis de impostos do pós-II Guerra Mundial?

Não diria que é a única forma. O paper concentra-se em medir a associação e tem pouco a dizer sobre políticas públicas. O World Inequality Report discute algumas políticas (e, importa dizer que estas devem ser diferentes entre países). Alguns autores têm sublinhado o papel da globalização, com os melhores CEO's a alcançarem agora maiores mercados. Mas dificilmente essa será a explicação completa, uma vez que os CEO's americanos ganham muito mais do que o CEO's franceses ou alemães, apesar de estarem expostos ao mesmo ambiente global. Outros autores têm sublinhado o papel dos trabalhadores do sector financeiro no aumento dos rendimentos no topo.




Saber mais e Alertas
pub