Economia Chumbado plano de recuperação de construtora do presidente do Rio Ave FC

Chumbado plano de recuperação de construtora do presidente do Rio Ave FC

Os credores da construtora António da Silva Campos (ASC), empresa do presidente do Rio Ave FC, chumbaram o Processo Especial de Revitalização (PER), abrindo o caminho para a insolvência da empresa, disse hoje fonte ligada ao processo.
Chumbado plano de recuperação de construtora do presidente do Rio Ave FC
Lusa 01 de junho de 2018 às 20:26

De acordo com um anúncio publicado no portal Citius, o despacho de não aprovação relativo ao acordo de revitalização da ASC foi proferido no dia 25 de Maio, pelo Juízo de Comércio de Santo Tirso.

 

A empresa com sede em Vila do Conde aderiu ao PER para negociar, com os mais de 800 credores, uma dívida de quase 25 milhões de euros.

 

A dívida financeira, incluindo garantias ou financiamentos bancários, é a principal responsável pelo montante apurado.

 

De acordo com a lista de credores da ASC, a que a Lusa teve acesso, o Novo Banco e o grupo Caixa Geral de Depósitos (CGD), são os maiores credores, com quase metade da dívida.

 

O Novo Banco tem a receber 6,3 milhões de euros e o grupo CGD reclama 5,2 milhões de euros à construtora.

 

Seguem-se o grupo Santander, com 1,9 milhões de euros, o BIC, com 837 mil euros, o BCP, com 669 mil euros, e o BPI, com 613 mil euros.

 

A Segurança Social tem a haver 464 mil euros e o Fisco cerca de 413 mil euros.

 

Entre os credores, surge ainda o próprio António da Silva Campos (na foto), que reclama cerca de 24 mil euros por suprimentos feitos à empresa, enquanto accionista.

 

Entretanto, há mais uma empresa do grupo Campos a atravessar dificuldades financeiras. A António da Silva Campos Indústria de Carpintaria foi declarada insolvente, numa sentença proferida a 29 de maio, no Juízo de Comércio de Santo Tirso.

 

Os credores têm agora 30 dias para reclamar os seus créditos ao administrador da insolvência.




pub