Conjuntura Citi prevê que exportações ajudem PIB a crescer 1,4% em 2017

Citi prevê que exportações ajudem PIB a crescer 1,4% em 2017

O banco de investimento prevê que a economia nacional cresça, este ano, mais do que a estimativa do Governo. E alerta para a continuação de riscos internos, como a "instabilidade política" e a "incerteza orçamental".
Citi prevê que exportações ajudem PIB a crescer 1,4% em 2017
Bloomberg
Sara Antunes 29 de Novembro de 2016 às 11:38

O Citi estima que o produto interno bruto (PIB) português cresça 1,3% este ano e 1,4% nos dois anos seguintes, de acordo com uma nota publicada na segunda-feira, 28 de Novembro. Uma expectativa que compara com a previsão do Governo liderado por António Costa, que aponta para que o PIB português cresça 1,2% este ano.

 

"Projectamos que o ritmo de recuperação acelere marginalmente em 2017-18 (1,4% depois de 1,3% em 2016), conduzido por alguma recuperação nas exportações, devido às perspectivas de melhoria em alguns parceiros comerciais chave fora da UE", realça o banco de investimento.

 

O Citi tem estimativas até 2021, apontando para aumentos do PIB de 1,3% entre 2019 e 2021.

 

"Internamente, os riscos permanecem, relacionados com nova instabilidade política, incerteza orçamental, um sistema bancário frágil e possíveis acções negativas de rating."

 

"Projectamos que o Governo supere (outra vez) os objectivos orçamentais definidos no orçamento de 2017," acrescenta.

 

O Citi estima que o défice português recue para 2,6% do PIB este ano e que desça para 2,2% em 2017 e para 1,8% no ano seguinte. Já a dívida nacional deverá fixar-se nos 130,2% do PIB em 2016 e descer para 128,9% no ano que vem e para 127,0% no ano seguinte.

Ainda ontem, o Morgan Stanley também publicou uma nota de análise sobre a Zona Euro, com um capítulo sobre Portugal. O banco de investimento mais do que duplicou a estimativa de crescimento da economia portuguesa para o próximo ano, numa nota onde realça que, apesar das melhorias, o ritmo de expansão continua fraco.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
fcj Há 1 semana

É mais positivo 1,3% de crescimento a devolver o roubo feito em 4 anos ao trabalho que 1,5% a cortar nos vencimentos e pensões!

luis Há 1 semana

Sistema bancário é o problema maior portugues, devia ser aberta uma invstigação para perceber prorque a troika e o governo anterior não fizeram o devido seguimento disso.

Anónimo Há 1 semana

O PIB cresceu 1,5% em 2015, agora pensem.

pub