Economia CMVM fez seis participações criminais do BES/GES em 2016

CMVM fez seis participações criminais do BES/GES em 2016

O regulador do mercado de capitais continuou, em 2016, a fazer averiguações aos últimos dias de negociações do BES em bolsa, em 2014.
CMVM fez seis participações criminais do BES/GES em 2016
Correio da Manhã
Diogo Cavaleiro 11 de julho de 2017 às 19:59

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) fez, no ano passado, seis participações criminais junto do Ministério Público "por indícios da prática de crime de abuso de informação privilegiada com o BES/GES". A informação foi transmitida pela presidente do regulador do mercado de capitais, Gabriela Figueiredo Dias.

Na audição parlamentar de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa, a líder da CMVM disse que, em 2016, continuaram a ser analisadas as negociações do BES em final de Julho e início de Agosto de 2014, antes da resolução aplicada à instituição financeira. No ano passado, foram feitas 10 participações ao Ministério Público, sendo que, portanto, os passos que antecederam a queda do BES foram os responsáveis pela maioria das mesmas.

Na altura, o BES caiu em força em bolsa quando ainda não havia informação relevante sobre a instituição financeira. Mais tarde, soube-se que havia uma decisão do Banco Central Europeu que, com a retirada do estatuto de contraparte ao BES, poderia influenciar a negociação e, daí, surgiram dúvidas sobre eventual prática de factos compagináveis com crimes de abuso da informação privilegiada.

Segundo a apresentação de Gabriela Dias, foram investigados 36 investidores institucionais estrangeiros, que foram os responsáveis por 63% de todas as vendas e de acções e derivados transaccionados em bolsa entre 28 de Julho e 1 de Agosto, a última semana de vida do BES na Bolsa de Lisboa.

Mas não foram apenas investidores institucionais a ser averiguados pela CMVM: houve 48 investidores particulares também alvo de investigação do regulador do mercado de capitais.




pub