Mundo Compromisso falhado para Orçamento dos EUA leva a encerramento parcial de serviços

Compromisso falhado para Orçamento dos EUA leva a encerramento parcial de serviços

A última vez que o Governo norte-americano se deparou com o encerramento parcial de serviços foi em Outubro de 2013.
Compromisso falhado para Orçamento dos EUA leva a encerramento parcial de serviços
Negócios com Lusa 20 de janeiro de 2018 às 10:34

O Governo dos Estados Unidos da América iniciou às 00:00 locais (mais uma hora em Lisboa) o encerramento parcial dos seus serviços devido à falta de fundos para os financiar, após ter falhado a tentativa de compromisso para o Orçamento.

Esta paralisação parcial, apesar das intensas negociações entre republicanos e democratas e a intervenção do presidente norte-americano, coincide com o primeiro aniversário de Donald Trump na Casa Branca, avança a Lusa.


A proposta de Orçamento apresentada pelos republicanos obteve mais votos a favor (50) que contra (48), mas foram insuficientes para aprovar as verbas que exigiam o apoio de 60 senadores.


Foram os democratas que forçaram esta paralisação devido à oposição que apresentaram à proposta de Orçamento. Estes tinham condicionado o seu voto a que o presidente os republicanos concordassem em regularizar os cerca de 800 mil jovens indocumentados que são conhecidos como "dreamers" ("sonhadores").


Já depois da meia-noite, revela o "Cinco Días", a Casa Branca emitiu um comunicado onde revelou que "não negociará" com os democratas o estatuto destes jovens para conseguir novos fundos.


"Não vamos negociar o estatuto de imigrantes ilegais enquanto os democratas mantêm os nossos cidadãos legais reféns das suas exigências insensatas. Este é um comportamento de perdedores que causam obstruções, não de legisladores", refere o documento da Casa Branca, citado pelo jornal espanhol.


O governo norte-americano também já disse que apenas "vai reabrir as negociações sobre a reforma migratória"
quando os democratas desbloquearem as contas.


Enquanto espera para avaliar as consequências práticas desta paralisação, o líder do Pentágono, James Mattis, já revelou que algumas operações militares ficarão suspensas à espera de fundos, segundo o "Cinco Días". Mas a falta de Orçamento não vai afectar as operações no Afeganistão e contra o Estado Islâmico.


A última vez que o Governo dos Estados Unidos teve de fechar por falta de fundos foi em Outubro de 2013 com Barack Obama na Casa Branca, situação que durou 16 dias.


Na altura, Obama mandou para casa mais de 800 mil funcionários públicos – os considerados não essenciais -, encerrou museus e parques nacionais, e cancelou tratamentos experimentais em centros federais de investigação médica.




pub