Economia Concelhos vão ter núcleos de bombeiros profissionalizados

Concelhos vão ter núcleos de bombeiros profissionalizados

O objectivo, segundo o Público, não é substituir os corpos de bombeiros voluntários nem sequer criar uma estrutura pública paralela de bombeiros.
Concelhos vão ter núcleos de bombeiros profissionalizados
Cofina Media
Negócios 25 de novembro de 2017 às 12:22
O Governo vai avançar com núcleos de bombeiros profissionalizados em todos os municípios do país, sobretudo naqueles com maior risco de incêndio. Esta é, segundo o Público deste sábado, 25 de Novembro, uma das mudanças no âmbito da restruturação dos bombeiros em preparação.

A criação destes núcleos não implica, no entanto, reduzir a importância dos bombeiros voluntários nem criar um novo corpo público de bombeiros: "São nove mil voluntários, uma massa humana que mais nenhum país tem e que não ser ignorada nem desperdiçada", disse um responsável do Governo.

"O que não pode continuar a existir é corpos aparentemente profissionalizados, que são pagos pelo Estado para estarem um número de horas nos quartéis, mas depois não têm capacidade de dar resposta nem têm formação como a que deve ser exigida," disse a mesma fonte ao jornal.

A formação profissional dos bombeiros vai ser feita em escola própria e integrada no sistema nacional formação superior.



A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado JCG Há 2 semanas

Uma boa ideia que se não for bem congeminada e aplicada pode gerar enorme trapalhada. Tudo depende dos detalhes e, francamente, não confio minimamente no governo para esperar uma medida bem desenhada.
Eu desde há muito defendo que em cada corporação de bombeiros seja injectado uma equipa de bombeiros profissionais. Mas com missões e tarefas bem definidas (e inspecionadas por um corpo de inspectores nacionais) tendo em 1º lugar o papel central na prevenção de incêndios (patrulhamento do território e imposição de medidas de acordo com a lei (que deve ser muito clara); em 2º lugar, dar formação aos bombeiros amadores ou voluntários; em 3º combater incêndios. Mas há uma série de questões melindrosas que devem ser tratadas com sabedoria e cuidado. Se há bombeiros profissionais na corporação quem é que assume o comando? Os bombeiros profissionais devem passar a ser funcionários municipais? Com desenhar as hierarquias e coordenações nas corporações e acima das corporações? etc.

comentários mais recentes
JCG Há 2 semanas

Como é preciso andar depressa e em passos seguros, para arrancar com a dotação dos municípios com esse corpo de bombeiros profissionais, sugiro o seguinte:
1º abrir candidaturas por município para recrutamento de BOMBEIROS PROFISSIONAIS ESTAGIÁRIOS, requisito mínimo de escolaridade do 9º ano, valorizar experiência anterior de bombeiro e ou militar e a posse de cursos relacionados com a agricultura e a silvicultura ou afins;
2º constituir um grupo de trabalho de especialistas para elaborar o currículo para um curso de bombeiro profissional por módulos, com 3 graus correspondentes a 3 anos (equivalência aos 12º ano), em que o 1º ano (disciplinas mais práticas e operacionais) confere o diploma de curso básico de bombeiro e após a obtenção desse diploma - tendo 2 anos para o conseguir - o bombeiro estagiário passaria a efectivo.
Este curso e especialmente o 1º ano/ grau, inicialmente pode ser ministrado por disciplinas em regime intensivo, descontinuado, por ex. em quartéis militares.

JCG Há 2 semanas

Uma média de 15 bombeiros por município, a custar em média 14 mil euros ano (1000 euros mês, incluindo encargos sociais), dá 210 mil euros ano por município só em custos remuneratórios (uns 65 milhões anuais no total dos concelhos). Mais equipamentos. O Estado deve aumentar nesse montante as transferências para os municípios.
Mas vejam lá - Governo - se conseguem reduzir o disparate. E já notei vários: ter o espaço limpo em 31/3? Não o espaço deve estar limpo todo o ano; bombeiros profissionais a serem formados nos politécnicos? mais uma semente para futuros problemas (os tipos começam a julgar-se engºs e a ser muito finórios para pegar numa motosserra ou numa enxada). Acho que para formar bombeiros profissionais (algo equivalente a um polícia ou a um GNR) devem ser criados cursos técnicos-profissionais em escolas profissionais. Para subir na hierarquia então que se exijam cursos superiores (além do curso técnico básico que deve ser para todos).

JCG Há 2 semanas

Descompliquem, reduzam a trapalhada.
É preciso fazer uma lei clara, objectiva e rigorosa sobre a gestão da floresta (e suponho que já há conhecimento técnico e científico mais que suficiente para a fundamentar) em que, no essencial, é preciso criar uma floresta em mosaico, com espécies alternadas, reduzir progressivamente pinheiros e eucaliptos, fazer aceiros, construir pontos de água, etc.
É preciso fazer uma lei clara, objectiva e rigorosa sobre a proteção de pessoas e bens que vivem em zonas florestais e creio que também já há conhecimento técnico e científico mais que suficiente para o efeito.
Pois bem, o trabalho de prevenção, de verificação e de imposição para que ambas as leis sejam cumpridas e a realização de algumas tarefas práticas deve ser entregue a um efectivo de bombeiros profissionais municipais (uns 10 a 20 por município), funcionários do município. Deve também ser criado um corpo de inspectores de âmbito nacional para verificar o trabalho desses bombeiros.

pertinaz Há 2 semanas

SÓ CONVERSA E MAIS CONVERSA... NINGUÉM PERCEBE EXACTAMENTE O QUE VÃO FAZER... QUE ESCUMALHA...!!!

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub