Empresas Concurso para a linha Évora-Elvas será lançado dentro de 3 meses

Concurso para a linha Évora-Elvas será lançado dentro de 3 meses

A ferrovia contará no próximo ano com um investimento de 364 milhões de euros, quer para infraestrutura quer para material circulante.
Concurso para a linha Évora-Elvas será lançado dentro de 3 meses
Bruno Simão/Negócios
Maria João Babo 06 de novembro de 2017 às 10:58

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas salientou esta segunda-feira, 6 de Novembro, no Parlamento que no próximo ano serão mobilizados para a ferrovia 364 milhões de euros, quer para infraestruturas quer material circulante.

 

Na audição no âmbito da apreciação na especialidade do Orçamento do Estado para 2018, Pedro Marques destacou que no próximo ano estará em obra ou em contratação 800 quilómetros de ferrovia, dos 1.193 quilómetros abrangidos pelo plano ferrovia 2020 avaliado em 2,7 mil milhões de euros.

 

Na intervenção inicial, o ministro disse que espera lançar nos próximos três meses a primeira grande obra, entre Évora e Elvas, um concurso de 70 milhões de euros.

Também no início de 2018, acrescentou, será adjudicado a obra no troco Elvas - Fronteira.

 

Entre outras intervenções, Pedro Marques destacou ainda que este mês de Novembro será adjudicado o concurso Covilhã - Guarda no valor de 65 milhões de euros, que começará no primeiro trimestre de 2018.

 

Relativamente ao material circulante, Pedro Marques sublinhou a intervenção em 35 unidades da CP e anunciou que será iniciado a aquisição de novo material, no âmbito da qual será lançado no próximo ano o concurso para oito unidades, com um custo de 60 milhões.

 

Na próxima semana, disse ainda o ministro, será lançado o concurso de 126 milhões de euros de conservação ferroviária, depois de já ter sido anunciado outros 125 milhões para a conservação rodoviária.

 

Relativamente à Linha de Cascais, Pedro Marques acusou o PSD de se ter esquecido de inscrever uma dotação orçamental no âmbito do Portugal 2020, garantindo que no âmbito da reprogramação será posta uma dotação para obras nesta linha.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
JoséMartins Há 1 semana

As luminárias da CP/REFER agora com a colaboração militante "idiota e útil" dos governantes, preparam-se para gastar mais uns milhões do "erário público" que são puro esbanjo do dinheiro dos contribuintes.
Os cidadãos portugueses, utilizadores ou não do transporte ferroviário, vão ter que se associar para exigir contas da exploração ferroviária, linha por linha.
Para termos uma ideia de quão miseráveis são os critérios de investimento na ferrovia em Portugal bastará dizer que na década de 1910 a ligação Porto-Lisboa fez-se em 3 horas com locomotiva a carvão.
Passados mais de um século e muito mais de 5 000 milhões de euros esbanjados as luminárias da CP/REFER (com a colaboração, e, em alguns casos o engano, de vários governantes) conseguiram reduzir e tempo de viagem em 15 minutos!!!!!!!.
As lumiarias da CP/REFER continuam, desde há 40 anos, a fazer obras e obrinhas que são puro esbanjo de dinheiros públicos sem terem um PLANO ESTRATÈGICO para a ferrovia em Portugal.

Governo 90% Sócrates : CORRUPÇÃO Há 2 semanas

Não admira que um governo cujos ministros e secretários de estado são 90% ex ministros, secretários de estado e adjuntos de governantes do governo Sócrates não volte á carga com o TGV - o "acordo" está feito e vem de trás, e as "contrapartidas" já esclarecidas . . . VÃO SER 2 ANOS DE CORRUPÇÃO

Saber mais e Alertas
pub