Américas Conferência em Portugal patrocinada por empresa envolvida na denúncia de Temer

Conferência em Portugal patrocinada por empresa envolvida na denúncia de Temer

Depois de conhecido o acordo de delação de executivos da JBS, o instituto promotor do seminário cancelou o patrocínio e devolveu parte da verba. Juiz que decidirá a validação da delação é sócio-fundador do instituto que promove o evento.
Conferência em Portugal patrocinada por empresa envolvida na denúncia de Temer
REUTERS/Ueslei Marcelino
Paulo Zacarias Gomes 14 de junho de 2017 às 15:30

O grupo empresarial brasileiro envolvido na delação do presidente Michel Temer financiou em Abril um congresso em Portugal. O evento foi co-promovido por um instituto ligado ao juiz que terá uma palavra a dizer sobre a validade daquela mesma delação.

Em causa, de acordo com o jornal Folha de São Paulo, está o V Seminário Luso-Brasileiro de Direito Constitucional, que decorreu entre 18 a 20 de Abril na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

Um evento promovido pelo Instituto Brasiliense de Direito Público (IBDP) e que contou com o apoio do grupo J&F, dono do fornecedor de carnes JBS, cujo sócio Joesley Batista gravou conversas com o presidente brasileiro que sugerem que o chefe de Estado teria conhecimento do pagamento de subornos a Eduardo Cunha, ex-líder da Câmara dos Deputados e actualmente preso.

No total, nos últimos dois anos, o grupo empresarial terá destinado 1,45 milhões de reais (390 mil euros) em patrocínios ao IBDP, dos quais cerca de 175 mil euros foram aplicados na edição deste ano do evento em Portugal, de cujo programa constavam os nomes de vários ministros do executivo brasileiro.

Assim que foi conhecido o acordo de delação entre sete executivos da JBS e o Ministério Público Federal, ainda segundo o mesmo meio de comunicação, o IBDP rescindiu o contrato válido desde 2015, por razões relacionadas com conduta ética e moral do patrocinador, e devolveu um montante semelhante ao que foi empregue no apoio ao congresso em Lisboa. Mas o jornal não confirma se o patrocínio devolvido foi o mesmo que foi entregue para realizar este evento e o instituto refere que o valor em causa não chegou sequer a ser gasto.

O Negócios contactou o Instituto de Ciências Jurídico-Políticas da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (ICJP), co-organizador do evento, mas até ao momento não foi possível saber se o valor devolvido é o que seria aplicado no evento português.

Um dos organizadores daquele seminário em Portugal é Gilmar Ferreira Mendes, presidente do Supremo Tribunal Eleitoral (STE) do Brasil e membro do Tribunal Supremo Federal (TSF), além de sócio-fundador do IBDP. O instituto garante no entanto que Gilmar não é nem nunca foi administrador do IBDP, pelo que não tem uma palavra a dizer sobre questões relativas à administração.

É a Gilmar que cabe, conta o Folha de São Paulo, deliberar – em plenário do TSF – a validade do acordo de delação, num julgamento ainda sem data. O voto de qualidade de Gilmar no STE contribuiu, na semana passada, para ilibar Temer e Dilma Rousseff por irregularidades em financiamento de uma campanha em 2014 que poderiam ter resultado na destituição do presidente.

Gilmar e o delator da JBS, Joesley Batista, tiveram um encontro nos últimos meses em que, segundo o juiz, foi discutido um julgamento do STF sobre negócio agrícola. No final do mês passado, o Folha de São Paulo tinha dado conta que Gilmar vendia gado à JBS, negociações que são feitas pelo irmão.

A edição do ano passado deste seminário tinha sido envolta em polémica por prever a presença de alguns dos protagonistas do processo então iniciado para a destituição de Dilma Rousseff como Presidente do Brasil, como o então senador Aécio Neves (entretanto afastado do cargo e que, de acordo com a delação, terá pedido subornos à JBS) e José Serra, ambos publicamente defensores do processo de "impeachment" da, à data, chefe de Estado.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 14.06.2017

Conferência em Portugal patrocinada por empresa envolvida na denúncia de Temer

VENHAM PARA CÁ COM CONFERENCIAS DA "TRETA" E AINDA VÃO SURGIR MAIS UNS ARGUIDOS!

comentários mais recentes
Anónimo 14.06.2017

Conferência em Portugal patrocinada por empresa envolvida na denúncia de Temer

VENHAM PARA CÁ COM CONFERENCIAS DA "TRETA" E AINDA VÃO SURGIR MAIS UNS ARGUIDOS!

pub