Américas Congresso da Colômbia ratifica novo acordo de paz com as FARC

Congresso da Colômbia ratifica novo acordo de paz com as FARC

O Congresso colombiano ratificou na quarta-feira o novo acordo de paz assinado entre o Governo e a guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).
Congresso da Colômbia ratifica novo acordo de paz com as FARC
Reuters
Lusa 01 de Dezembro de 2016 às 07:41
A Câmara dos Deputados aprovou o texto, por unanimidade, secundando o voto favorável que já havia sido dado pelo Senado no dia anterior.

Os membros presentes na câmara baixa do Congresso da Colômbia aprovaram na quarta-feira (madrugada de quinta em Lisboa), com 130 votos a favor e zero contra, o acordo que pretende pôr fim a 52 anos de conflito armado e que foi renegociado após a primeira versão ter sido rejeitada num referendo, a 2 de Outubro.

O acordo revisto introduz cerca de 50 alterações, com o objectivo de fazer face às críticas.

As mudanças no texto do acordo incluem desde a proibição de juízes estrangeiros julgarem alegados crimes pelas tropas governamentais ou guerrilheiros até ao compromisso da FARC em perder activos, alguns obtidos através do tráfico de droga, para ajudar a compensar as vítimas do conflito.

No entanto, as FARC não aceitaram a principal exigência dos opositores ao acordo, que pediam penas de prisão para os líderes da guerrilha acusados de crimes e estritas limitações na sua futura participação na vida política.

O acordo de paz foi assinado a 24 de Novembro pelo presidente colombiano, Juan Manuel Santos, e pelo líder das FARC, Rodrigo Londoño que é mais conhecido como "Timochenko", e tal como em Setembro foi assinado com recurso a uma caneta feita a partir do invólucro de uma bala.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub