Mundo Conselho de Segurança da ONU ameaça Coreia do Norte com "medidas significativas"

Conselho de Segurança da ONU ameaça Coreia do Norte com "medidas significativas"

O Conselho de Segurança da ONU condenou hoje de forma unânime o lançamento de um míssil de médio alcance pela Coreia do Norte e ameaçou impor novas "medidas significativas" contra o país.
Conselho de Segurança da ONU ameaça Coreia do Norte com "medidas significativas"
Reuters
Lusa 13 de fevereiro de 2017 às 23:43

Em comunicado, o Conselho de Segurança considerou que o ensaio norte-coreano é uma "grave violação" das obrigações internacionais do país, tendo insistido com o Governo de Pyongyang para parar com aquele tipo de ações.

 

O texto não refere que "medidas significativas" podem ser impostas como resposta, mas a linguagem utilizada foi a que no passado levou à imposição de sanções ao país.

 

A Coreia do Norte confirmou no domingo ter "testado com êxito um míssil balístico", informou a agência estatal de notícias KCNA.

 

O míssil foi lançado a partir da base aérea de Banghyon, na província ocidental de Pyongyang norte, e voou para leste em direção ao mar do Japão, informou o Ministério da Defesa.

 

A Coreia do Norte está proibida, por resoluções da ONU, de realizar lançamentos de mísseis balísticos ou testes de armas nucleares.

 

No entanto, no ano passado, o país realizou dois testes nucleares e numerosos lançamentos de mísseis numa tentativa de desenvolver um sistema de armas nucleares capaz de atingir solo norte-americano.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
}
pub