Justiça Conselho Superior de Magistratura abre inquérito a juiz Rui Rangel

Conselho Superior de Magistratura abre inquérito a juiz Rui Rangel

O Conselho Superior de Magistratura instaurou um inquérito ao juiz desembargador Rui Rangel, no âmbito do processo "Rota do Atlântico" e depois de a Procuradoria ter também aberto uma investigação.
Conselho Superior de Magistratura abre inquérito a juiz Rui Rangel
Lusa 04 de Outubro de 2016 às 20:22

Na sequência de uma pergunta por escrito da Agência Lusa, o Conselho Superior de Magistratura confirmou "que instaurou um inquérito, com conteúdo sobre o qual não se pronuncia e que seguirá a sua normal tramitação".

 

Na segunda-feira, a Procuradoria-Geral da República revelou que foi aberta uma investigação ao juiz desembargador Rui Rangel, com origem numa certidão do processo "Rota do Atlântico", estando a decorrer pelo Ministério Público junto do Supremo Tribunal de Justiça.

 

"Confirma-se a existência de um inquérito que teve origem numa certidão do processo 'Rota do Atlântico", respondeu à agência Lusa a PGR, na sequência de uma questão levantada após uma notícia de sábado passado do jornal Correio da Manhã, segundo a qual o juiz Rui Rangel era suspeito de receber fortuna do empresário futebolístico José Veiga, arguido naquele processo relacionado com crimes de corrupção no comércio internacional, fraude fiscal e branqueamento de capitais e tráfico de influência. A PGR adianta que "encontra-se em investigação e está em segredo de justiça".

 

De acordo com o jornal, a investigação surge na sequência da prisão, em Fevereiro, do empresário José Veiga, por corrupção, fraude fiscal e branqueamento de capitais.

 

A Lusa tentou obter um comentário do juiz Rui Rangel mas tal não foi possível.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 04.10.2016

Pela imensidão de notícias escabrosas sobre Juízes, chega-se a conclusão que são a escória mais nojenta que existe em Portugal.
Vá de retro, que infelicidade dos que caiem nas mãos destes ordinários.

comentários mais recentes
Anónimo 04.10.2016

Pela imensidão de notícias escabrosas sobre Juízes, chega-se a conclusão que são a escória mais nojenta que existe em Portugal.
Vá de retro, que infelicidade dos que caiem nas mãos destes ordinários.

pub