Conjuntura Construção com a menor queda num ano

Construção com a menor queda num ano

O sector da construção continua em queda, mas está a travar o ritmo, tendo registado a descida menos pronunciada desde Outubro de 2015. Já os custos associados à construção de casas novas registou a maior subir desde 2013.
Construção com a menor queda num ano
Reuters
Sara Antunes 07 de dezembro de 2016 às 11:33

A produção na construção caiu 3%, em Outubro, quando comparado com igual período do ano passado, de acordo com a média móvel de três meses divulgada esta quarta-feira, 7 de Dezembro, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

 

Esta é a queda menos pronunciada desde Outubro de 2015 (-2,8%), segundo os dados do instituto.

 

Este comportamento de travagem é justificado pelo segmento de construção de edifícios, que registou a queda menos acentuada em mais de um ano. Já o segmento de engenharia civil continua a aprofundar a descida (-4,8%).

 

No que respeita ao emprego, o índice também registou uma descida menos acentuada (1,9%). "O índice das remunerações efectivamente pagas, registou em Outubro uma variação homóloga de -4,0% (-4,2% no anterior período)", acrescentou a mesma fonte.

 

Num segundo destaque, o INE revela os dados sobre os custos de construção de habitação nova, tendo observado um aumento do índice de custos de 1,5%, também em Outubro, quando comparado com o período homólogo. Esta é a subida mais pronunciada desde Abril de 2013.

 

Neste caso, materiais e mão-de-obra contribuíram para a evolução, ainda que seja na mão-de-obra que o aumento foi maior. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub