Economia Construção da academia do Sporting de Braga avança sem autorizações

Construção da academia do Sporting de Braga avança sem autorizações

63 sobreiros abatidos sem a autorização ter chegado e obras que excedem o licenciamento da câmara. A construção da nova academia de futebol do Sporting de Braga está envolta em polémica, escreve o Público na sua edição desta terça-feira, 25 de Outubro.
Construção da academia do Sporting de Braga avança sem autorizações
Amândia Queirós/Cofina
Negócios 25 de Outubro de 2016 às 09:35
O Sporting de Braga não esperou pela obrigatória luz verde do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) e avançou com o arranque de 63 sobreiros no terreno onde está a construir a sua nova academia de futebol. Apesar de ter dado entrada com o pedido de autorização, o clube não esperou que decorressem os vários prazos e procedimentos e deu logo início aos trabalhos.
 
A história faz a manchete do Público nesta terça-feira, 25 de Outubro e o jornal adianta que a autorização para o abate dos sobreiros foi emitida quase dois meses depois de os terrenos já terem sido limpos e arrancadas as árvores. O corte acabaria efectivamente por ser autorizado pelo ICNF, que aceitou também as medidas compensatórias propostas pelo clube e que são sempre obrigatórias nestes casos de abate de árvores.
 
Ao Público, o ICNF explicou que o clube não podia dar início ao abate sem que a autorização tivesse sido emitida. Por outro lado, é também necessário o licenciamento camarário do empreendimento, um processo que também não está fechado, já que a licença emitida em Julho para as obras da nova academia não autoriza a maior parte dos trabalhos em curso.
 
O clube apresentou apenas um pedido de licenciamento parcial à autarquia bracarense que, explica o Público, não lhe permitia a intervenção generalizada nos 11 hectares de  terreno nem a construção de alguns dos edifícios que estão a ser erguidos.
 
Diz o jornal que a obra continua sem o licenciamento final, faltando pareceres da Agência Portuguesa do ambiente e do Instituto Português do Desporto e da Juventude, só depois disso sendo possível a emissão do alvará final.
 
As obras, no entanto, avançam, uma vez que o Sporting de Braga as quer ter concluídas em 2018.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Ricardo Há 1 semana

Sempre a ouvir ilegalidades da direção deste clube.. jánão basta das dividas da Britalar que este presidente causou.. onde andam as autoridades para investigar..

Francisco António Há 1 semana

Se o Braga iniciou obras sem os respectivos licenciamentos a coisa está facilitada: Embargo !

pub
pub
pub
pub