Conjuntura Construção: Há mais licenças novas e mais prédios concluídos

Construção: Há mais licenças novas e mais prédios concluídos

Os números do INE revelam um crescimento de 15,9% do número de licenças no terceiro trimestre do ano, face a 2015. Também os edifícios concluídos aumentaram, dando sinais de que a construção começa a recuperar o fôlego, ainda que lentamente.
Construção: Há mais licenças novas e mais prédios concluídos
Stringer/Reuters
Negócios 14 de Dezembro de 2016 às 11:55

As estatísticas revelam que o sector da construção tarda em recuperar o fôlego, mas revelam, ainda assim, alguma recuperação. No 3º trimestre de 2016 foram licenciados 4,1 mil edifícios e concluídos outros 2,7 mil, o que significa uma diminuição de 4,1% no número de novas licenças face ao trimestre anterior e também um decréscimo nos edifícios concluídos, menos 2,6% que nos três meses anteriores.

 

Porém, quando a comparação é homóloga, isto é, com o terceiro trimestre de 2015, verifica-se que o número de edifícios licenciados cresceu 15,9%. E quanto aos edifícios concluídos, a diferença face ao segundo trimestre foi também melhor do que a registada em Junho face aos primeiros três meses do ano, quando a quebra era ainda de 10,7%.

 

Os números, divulgados esta quarta-feira, 14 de Dezembro, pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE) indicam ainda que no licenciamento para reabilitação registou-se um acréscimo de 12,2% face ao mesmo período do ano passado.  

 

Do total de edifícios licenciados, 63,7% corresponderam a construções novas e, destas, 70,7% destinaram-se a habitação familiar, indica ainda o IME. Os edifícios demolidos (346 edifícios) correspondem a 8,5% do total de edifícios licenciados.

 

Todas as regiões do país registaram variações homólogas positivas nos edifícios licenciados, com excepção da Região Autónoma dos Açores (-7,4%). As variações mais elevadas foram observadas na Área Metropolitana de Lisboa (+41,5%) e no Algarve (+29,5%).




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub