União Europeia Contas públicas em cima da mesa de almoço entre Costa e Juncker

Contas públicas em cima da mesa de almoço entre Costa e Juncker

O presidente da Comissão Europeia e o primeiro-ministro português encontram-se amanhã, quinta-feira. Entre os tópicos abordados deverão estar as contas portuguesas a possibilidade de saída do Procedimento dos Défices Excessivos.
Contas públicas em cima da mesa de almoço entre Costa e Juncker
Reuters
Nuno Aguiar 04 de Janeiro de 2017 às 19:40

Jean-Claude Juncker estará quinta-feira em Portugal para participar no Seminário Diplomático, organizado pelo Governo. Antes, tem encontros marcados com Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa. O controlo orçamental português e os desafios políticos da Europa em 2017 devem estar entre os temas em discussão.

O almoço de trabalho para o qual o primeiro-ministro português convidou Juncker não tem uma agenda definida e a porta-voz da Comissão Europeia referiu apenas ao Negócios que faz parte das "conversas bilaterais regulares que o presidente Juncker tem com chefes de Estado e Governo para discutir temas que estão na agenda da União Europeia".

No entanto, do lado do Executivo português, embora se reconheça que os temas a abordar não foram discutidos, espera-se que haja oportunidade para actualizar o presidente da Comissão sobre a evolução da economia portuguesa, nomeadamente no que diz respeito ao crescimento, défice orçamental e, mais importante, a possível saída de Portugal do Procedimento dos Défices Excessivos, explicou fonte oficial do Governo.

Além disso, antecipa o Governo, deverão ser debatidos temas que estão na agenda europeia, como o Brexit, eleições em França e na Alemanha e refugiados.

Antes do almoço em São Bento, Jean-Claude Juncker será recebido ainda durante a manhã pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Fonte da Presidência disse à TSF que o encontro servirá essencialmente para "apresentação de cumprimentos".

A vinda de Juncker a Portugal está relacionada com a participação no Seminário Diplomático, organizado anualmente pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, onde fará uma intervenção ao início da tarde. O discurso deverá focar-se no papel da UE, desafios que se antecipam para 2017 e anos seguintes, bem como definição das prioridades da Comissão.

O evento, que reúne todos embaixadores portugueses, arrancou esta quarta-feira e teve na sua abertura o comissário europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, que sublinhou a necessidade de Portugal ter um papel central no futuro da Europa. "Portugal pode e deve ter um papel central nas escolhas complexas que a Europa tem de tomar nos próximos tempos", afirmou, citado pela Lusa.

"Com tantos países europeus confrontados com a ameaça de populismo e com tantas lideranças europeias com falta de memória sobre os benefícios do projecto europeu, países como Portugal têm uma obrigação acrescida de defender as conquistas da União Europeia", acrescentou.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas


O verdadeiro crime organizado

Ladrões FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

ARMÉNIO CARLOS ROUBA OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

Vitória para uns, significa derrota para os outros.

As vitórias de Arménio Carlos traduzem-se sempre em mais privilégios para a FP e ...

mais impostos sobre os restantes trabalhadores, para sustentar esses privilégios.

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas


GOLPE DE ESTADO na sociedade portuguesa, marcado por COSTA LADRÃO… para dia 1 de Julho de 2016.

A FP volta às 35 horas, salários altos e muitas outras benesses...

enquanto os privados trabalham 40, com salários muito mais baixos, e ainda tem que pagar impostos cada vez mais altos para sustentar os privilégios da FP e seus pensionistas.

Anónimo Há 2 semanas


O verdadeiro crime organizado

Ladrões FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

ARMÉNIO CARLOS ROUBA OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

Vitória para uns, significa derrota para os outros.

As vitórias de Arménio Carlos traduzem-se sempre em mais privilégios para a FP e ...

mais impostos sobre os restantes trabalhadores, para sustentar esses privilégios.

pertinaz Há 2 semanas

POIS POIS

REUNEM-SE DOIS GRANDES TRAMBIQUEIROS

JUNCKER NEGOCIAVA IMPOSTOS IRRISÓRIOS COM AS MULTINACIONAIS

COSTA MARTELA AS CONTAS DO DÉFICE E A DÍVIDA NÃO PÁRA DE AUMENTAR

VAMOS A CAMINHO DO ABISMO

Um bem haja a Carlos Moedas Há 2 semanas

Sendo eu de outra cor politica, Moedas é um exemplo de trabalho de qualidade, de empenho, um bem haja

pub
pub
pub
pub