Política Contrato de Lacerda Machado pode ser renovado até final do ano - Leia o documento

Contrato de Lacerda Machado pode ser renovado até final do ano - Leia o documento

Assessoria do amigo de António Costa ao Governo português tem um novo contrato de seis meses, renovável uma vez até 31 de Dezembro. Executivo divulgou o documento que oficializa a continuação de funções do advogado.
Contrato de Lacerda Machado pode ser renovado até final do ano - Leia o documento
Miguel Baltazar/Negócios
Tiago Freire 25 de janeiro de 2017 às 15:07
Diogo Lacerda Machado continuará a colaborar com o Estado português por mais seis meses, podendo essa relação ser estendida por igual período, até 31 de Dezembro deste ano, de acordo com o novo contrato, assinado nesta segunda-feira.

A renovação do contrato havia sido noticiada na semana passada pelo jornal Público, sendo que o documento só foi assinado a 23 de Janeiro e só nesta terça-feira colocado no Portal Base, onde têm de ser divulgados os contratos públicos. O objecto do contrato mantém-se a prestação de serviços "de consultoria estratégica e jurídica, na modalidade de avença, em assuntos de elevada complexidade e especialização, na área de competência do primeiro-ministro".

Entre os dois contratos, o original e o novo, quase nada muda. As diferenças são a duração (o primeiro era de nove meses e o novo de seis, renovável por mais seis) e, consequentemente o valor total do mesmo, que é agora menor por ser de menor duração. Por mês, a remuneração é a mesma: dois mil euros mais IVA. A outra diferença entre os contratos é o desaparecimento da anterior cláusula 6ª, referente às limitações à subcontratação e cessão da posição contratual de Diogo Lacerda Machado, que careciam de autorização prévia do Gabinete do Primeiro-Ministro.

O advogado Lacerda Machado tem estado envolvido em várias negociações enquanto representante do Governo português, como foi o caso da TAP, do BPI ou dos lesados do BES.


A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Amadeu 25.01.2017

Com isto, o Costa a faz crescer o numero de precarios em Portugal !!!
Então e o BE não diz nada ???

... 25.01.2017

Sou responsável de compras há 30 anos, e a primeira coisa que aprendi foi NUNCA fazer negocios com amigos ou familia.
É uma regra básica. Um principio ético.
Até pode ser um negócio simples, sem nenhum ilicito - Mas não se faz!
Uma regra que jamais quebrarei.

JoaoTVale 25.01.2017

Querem ver que daqui a uns tempos vamos ver outro Ex PM a ter de provar empréstimos de um grande amigo?

Mr.Tuga 25.01.2017

Os "amigos" são para as ocasioes....

Até porque o estado cá do burgo não tem advogados nem juristas....

pub