Ásia Coreia do Norte acusa imprensa do PC Chinês de se curvar perante os EUA

Coreia do Norte acusa imprensa do PC Chinês de se curvar perante os EUA

A Coreia do Norte acusou hoje a imprensa oficial do Partido Comunista Chinês (PCC) de se curvar perante os Estados Unidos, ao criticar o programa nuclear do regime de Kim Jong-un.
Lusa 22 de setembro de 2017 às 10:03
A agência noticiosa oficial norte-coreana KCNA disse que o Diário do Povo, jornal oficial do PCC, e outra imprensa estatal chinesa, "submetem-se às ações ignorantes da Administração de [Donald] Trump".

O comentário difundido pela KCNA mencionou, entre outros exemplos, que o Diário do Povo escreveu que o programa nuclear norte-coreano é um "nó de forca colocado no próprio pescoço do país".

A imprensa do PCC está "abertamente a recorrer à interferência nas questões internas de outro país", afirmou, acrescentando que os jornais chineses "estão a falhar" na sua missão jornalística, ao não cumprirem os princípios "essenciais de objetividade e imparcialidade".

"Seria melhor se se preocupassem com a sua própria vida, em vez de imprudentemente apontar o dedo a outros", escreveu a agência norte-coreana.

A China é o principal aliado diplomático e parceiro comercial da Coreia do Norte.

Além da afinidade ideológica, Pequim e Pyongyang combateram lado a lado na Guerra da Coreia (1950-53). Nos mapas chineses impressos até há cerca de 20 anos, a península coreana correspondia a apenas um país, a Republica Democrática Popular da Coreia, com a capital em Pyongyang. Seul tinha então o estatuto de cidade de província.

A China tem-se, no entanto, distanciado do país vizinho, devido à sua insistência em avançar com um controverso programa nuclear e de misseis balísticos.

Desde que ascendeu ao poder, em 2013, o Presidente da China, Xi Jinping, nunca se encontrou com Kim Jong-un, tendo-se mesmo tornado no primeiro líder chinês a visitar a Coreia do Sul antes de ir à Coreia do Norte.



pub