Mundo Coreia do Norte desafia “fúria e fogo” de Trump com ameaça de ataque a Guam

Coreia do Norte desafia “fúria e fogo” de Trump com ameaça de ataque a Guam

Depois de Trump ter ameaçado responder à Coreia do Norte com "fúria e fogo", Pyongyang avisa que está a estudar um plano para atacar com mísseis o território norte-americano de Guam, no Pacífico.
Coreia do Norte desafia “fúria e fogo” de Trump com ameaça de ataque a Guam
Reuters
Negócios 09 de agosto de 2017 às 08:38

A Coreia do Norte avisou esta quarta-feira, 9 de Agosto, que está a considerar levar a cabo um ataque com mísseis a Guam, um território norte-americano no Pacífico.

É a resposta do regime de Pyongyang ao aviso feito pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, horas antes, de que a Coreia do Norte enfrentará um ataque militar devastador se não parar de ameaçar o país.  

"É melhor que a Coreia do Norte não faça mais ameaças aos Estados Unidos", avisou o presidente norte-americano durante uma sessão sobre dependência de opiáceos que decorreu no seu campo de golfe em Bedminster, Nova Jérsia. "Terão como resposta fogo e fúria, como este mundo nunca viu".

Depois destas palavras, Pyongyang admitiu estar a "estudar cuidadosamente" um plano para atacar Guam, onde está instalada uma base militar dos Estados Unidos, que inclui uma base aérea e um grupo da Guarda Costeira, e onde vivem cerca de 163 mil pessoas.

Um porta-voz do exército coreano já garantiu, em comunicado, que o plano será implementado a qualquer momento, assim que o líder Kim Jong-un tome a sua decisão.


A Coreia do Norte também acusou os Estados Unidos de estarem a conceber uma "guerra preventiva" e disse, numa outra declaração, que qualquer plano para a executar terá como resposta uma "guerra total que acabará com todas as fortalezas dos inimigos, incluindo o continente americano".

Washington já havia alertado que os Estados Unidos estão preparados para usar a força, se necessário, embora o país prefira recorrer a acções diplomáticas globais – incluindo sanções – para tentar travar o desenvolvimento de arsenal nuclear por parte de Pyongyang.

Isso mesmo aconteceu no sábado, com o Conselho de Segurança da ONU a impor novas sanções àquele país asiático – sob iniciativa de Washington – que poderão custar mil milhões de dólares de receitas anuais à Coreia do Norte, restringindo transacções económicas fundamentais com a China, o seu principal aliado e parceiro económico.

Perante isto, o regime norte-coreano assegurou na segunda-feira que o endurecimento das sanções não o impedirá de continuar a desenvolver o seu arsenal nuclear, ameaçando os Estados Unidos de que os "fará pagar mil vezes o preço do seu crime".

Guam desvaloriza ameaças de Pyongyang

 

Eddie Calvo, governador de Guam, descartou o hipotético ataque com mísseis por parte de Pyongyang, garantindo, porém, que o território, situado a quase 3.500 quilómetros a sudeste da Coreia do Norte, está preparado para qualquer eventualidade.

 

"Quero tranquilizar o povo de Guam de que, actualmente, não há ameaças à nossa ilha ou à das Marianas", afirmou Eddie Calvo ao diário Pacific Daily News, citado pela Lusa.

 

O governador assegurou ainda que está em contacto com a Casa Branca, e que o nível de ameaça não foi elevado. "Um ataque ou ameaça contra Guam é um ataque ou uma ameaça contra os Estados Unidos", frisou o governador.

 

O conselheiro de Segurança Nacional da região George Charfauros, afirmou, por seu lado, ao Pacific Daily News, que o Departamento de Defesa dos Estados Unidos está a "monitorizar de perto a situação", garantindo que confia no sistema de defesa destacado para este tipo de ameaças. 





A sua opinião12
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 09.08.2017

Ao menos os norte coreanos vão dizendo para onde vão apontando os mísseis.
São amigos.

comentários mais recentes
Anónimo 10.08.2017

Vejo que há muito estrategas militares de bancada, ataques a politicos que nada tem a ver com o assunto.... posso dizer, que por cá continuamos a ter os mesmos idiotas a opinar, nada mudou desde a implantação da Republica.

o SANTANDER tem 30 MIL MILHÕES fresquinhos 09.08.2017

O SANTANDER está pronto PARA ENGOLIR o NOSSO QUERIDO BCP FICA tudo nos ESPANHOIS mas que se LIXE nós os pequenos ACIONISTAS vamos ficar a NADAR em $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

coitadito do menino pingpong 09.08.2017

o miudito tem 20 anos ele só tem UMA pressão de ar QUE o PAIZINHO lhe DEIXOU isto é SÓ FANTOCHADA para comprarem AçÔES do BCP mais BARATAS antes da OPA do SANTANDER comprem enquanto há IDIOTAS a VENDER a estes PREÇOS RIDICULOS

Anónimo 09.08.2017

Troquem-lhes as fatiotas a côr e corte de cabêlo , depois vejam se consegum distinguir o Kim Jong do Tarm pong.
Podiam ir os dois para o Julio de Matos sempre faziam companhia um ao outro.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub