União Europeia Coreia do Norte: UE anuncia que vai preparar "sanções autónomas"

Coreia do Norte: UE anuncia que vai preparar "sanções autónomas"

A União Europeia (UE) vai preparar "sanções autónomas" dirigidas à Coreia do Norte e adicionais às medidas que sejam aprovadas pelo Conselho de Segurança da ONU, anunciou a chefe da diplomacia da União, Federica Mogherini.
Coreia do Norte: UE anuncia que vai preparar "sanções autónomas"
Reuters
Lusa 07 de setembro de 2017 às 23:44

"O trabalho para preparar mais sanções da UE vai começar", indicou Mogherini (na foto) esta quinta-feira aos 'media', no final de uma reunião informal dos ministros dos Negócios Estrangeiros da União e numa referência às medidas contra Pyongyang pelo seu programa balístico e nuclear. 

 

Mogherini acrescentou que os ministros "discutiram as propostas que lhes transmiti sobre a nossa posição face à Coreia do Norte" e "concordámos no apoio ao Conselho de Segurança da ONU para que adopte mais medidas em termos de restrições económicas contra a Coreia do Norte".

 

Os Estados-membros pretendem ainda assegurar que países terceiros "apliquem totalmente as decisões do Conselho de Segurança da ONU", indicou.

 

A alta representante para a política externa e de segurança assinalou que também ficou decidido "complementar potencialmente novas decisões do Conselho de Segurança da ONU com medidas autónomas da UE".

 

O chefe da diplomacia da Estónia, Sven Mikser, cujo país assume este semestre a presidência da União, frisou que Bruxelas já aplica um "estrito regime de sanções", apesar de "existirem alguns passos adicionais que podemos promover para acelerar a aplicação das sanções da ONU".

 

Segundo Mogherini, "toda esta pressão, quer em termos de aplicação das sanções da ONU e de sanções autónomas da UE, está dirigida para abrir canais para o diálogo diplomático que, de momento, não estão disponíveis". 

 

"Sempre acreditámos na UE que as sanções não são um objectivo em si mesmo, mas um instrumento para tentar promover posições credíveis em termos de diálogo político", prosseguiu.

 

A chefe da diplomacia comunitária indicou que a UE "está e permanecerá disposta a acompanhar este diálogo credível a nível político para garantir a total desnuclearização da península da Coreia". 

 

"Estamos muito determinados e unidos na UE no apoio ao regime internacional de não-proliferação nuclear", ressalvou, para assegurar ainda que "trabalharemos activamente com os nossos parceiros internacionais e na região para garantir" esse objectivo e "permitir a abertura de um diálogo diplomático".

 

A Coreia do Norte fez no domingo mais um teste nuclear, condenado pela comunidade internacional, e o Conselho de Segurança das ONU deverá analisar na segunda-feira um novo pacote de sanções por iniciativa dos Estados Unidos.  




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub