Mundo Coreia do Sul disponível para conversações com Pyongyang sobre Jogos Olímpicos

Coreia do Sul disponível para conversações com Pyongyang sobre Jogos Olímpicos

Seul acedeu à disponibilidade demonstrada pelo líder norte-coreano e anunciou estar disposta a negociar com a Coreia do Norte a participação desta nos Jogos Olímpicos de Inverno que vão decorrer este ano na Coreia do Sul.
Coreia do Sul disponível para conversações com Pyongyang sobre Jogos Olímpicos
Reuters
David Santiago 02 de janeiro de 2018 às 09:13

A Coreia do Sul anunciou esta terça-feira, 2 de Janeiro, estar disponível para negociações com a Coreia do Norte sobre a participação de Pyongyang nos Jogos Olímpicos de Inverno que terão lugar na região sul-coreana de Pyeongchang (perto da fronteira com o vizinho do norte), no próximo mês de Fevereiro.

 

Esta disponibilidade demonstrada por Seul surge um dia depois de o líder norte-coreano, Kim Jong-un, ter sugerido a realização de conversações por forma a garantir a participação da Coreia do Norte naquele evento desportivo.

 

O líder do regime ditatorial dinástico falou na importância de um "diálogo aberto" entre os dois países e considerou que os Jogos Olímpicos de Inverno podem ser uma "oportunidade histórica" para os dois países-vizinhos caminharem para uma relação bilateral pacífica.

 

No entanto, além da abertura visível no discurso feito no primeiro dia de 2018, Kim Jong-un reforçou a retórica ameaçadora em relação aos Estados Unidos, lembrando Washington de que 2017 foi o ano em que Pyongyang completou o seu programa nuclear e avisando que "o botão nuclear continua na minha secretária, não se trata de uma chantagem mas da realidade".

 

Seja como for, a proposta feita por Pyongyang foi bem recebida em Seul, que propôs a realização de negociações já no dia 9 de Janeiro. O ministro sul-coreano para a Unificação, Cho Myoung-won, citado pela agência Reuters, sugere que dentro de uma semana delegações dos dois países se encontrem em Panmunjom, na zona desmilitarizada, junto à fronteira.

 

"Esperamos que o Sul e o Norte possam sentar-se frente a frente e discutir a participação de uma delegação da Coreia do Norte nos Jogos de Pyeongchang, assim como outras questões de interesse mútuo para o reforço dos laços entre as duas Coreias", acrescentou o ministro Cho Myoung-won.

 

Antes ainda das declarações deste ministro, o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, mostrou-se receptivo à sugestão do seu homólogo norte-coreano, tendo dado indicações ao seu governo para rapidamente criar as condições necessárias à participação da Coreia do Norte nos Jogos de Inverno.

 

A última vez em que foram realizadas conversações de alto nível entre dirigentes das duas Coreias foi em Dezembro de 2015, há mais de dois anos.


A confirmar-se a reaproximação entre Seul e Pyongyang, esta acontece depois de um ano muito marcado pela troca de ameaças entre o presidente americano, Donald Trump, e Kim Jong-un. Trump chegou mesmo a ameaçar destruir a Coreia do Norte, ameaça frequentemente também feita em sentido contrário pelo regime norte-coreano.

 

Já Pyongyang terá desenvolvido capacidade para incorporar ogivas nucleares em mísseis balísticos de longo alcance, o que permite ao regime norte-coreano efectivar a ameaça de atingir o território continental dos Estados Unidos. Para 2018, Pyongyang promete prosseguir o seu programa de armamento nuclear. Ao longo de 2017, a Coreia do Norte realizou vários lançamentos de mísseis, que chegaram a sobrevoar o Japão em pelo menos duas ocasiões.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Irá ter o fim trágico dos tiranos 02.01.2018

Escrevam o que eu digo : o fim do criminoso da Coreia do Norte, que mantém o seu próprio povo na mais tenebrosa fome, terror e coacção psicológicos, esse lunático irá ter um fim violento e às mãos do próprio povo norte coreano, como sucedeu com o tirano da Roménia, o biltre Ceausescu e a mulher.

O camarada Jerónimo apoiou-o 02.01.2018

Ninguém põe este leãozinho de peluche na ordem ?
Os generais, à sua volta, todos com um caderno de apontamentos e caneta na mão para anotarem, servilmente, as bacoradas deste símio, sempre a rirem. alarvemente e a baterem palmas, são extremamente ridículos.
Parecem marionetas numa ópera bufa.

pub