Américas Corrida às livrarias nos EUA para livro sobre primeiro ano da administração Trump

Corrida às livrarias nos EUA para livro sobre primeiro ano da administração Trump

Milhares de pessoas dirigiram-se hoje nos Estados Unidos às livrarias para comprar um novo livro sobre a administração Trump, cuja publicação foi ontem antecipada quatro dias, mas muitos voltaram a casa de mãos vazias.
Corrida às livrarias nos EUA para livro sobre primeiro ano da administração Trump
Lusa 05 de janeiro de 2018 às 17:36

"Decidiram antecipar a publicação ontem à tarde. Não foi a tempo de antecipar a entrega dos livros. Apenas as livrarias que já os tinham recebido estão a vender", explicou à Lusa uma funcioáaria da Barnes & Noble em Union Square, na cidade de Nova Iorque.

A mesma funcionária diz que, uma hora depois de abrir as portas, a livraria já tinha recebido dezenas de pessoas a procura do livro.

"A entrega dos livros estava prevista para terça-feira, e, por enquanto, mantém-se essa data. Nenhuma Barnes & Noble em Manhattan está a vender o livro", explicou.

Umas ruas abaixo, na histórica Strand, também se notava a procura por "Fire and Fury: Inside the Trump White House" ("Fogo e Fúria: Dentro da Casa Branca de Trump"), um livro do jornalista Michael Wolff.

"Já tivemos pessoas a perguntar pelo livro, sim", disse um funcionário."A entrega estava prevista para mais tarde, mas estamos a tentar antecipar e ter uns livros para vender ainda hoje ao final do dia", acrescentou.

Michael Wolff teve acesso privilegiado aos bastidores do primeiro ano de Donald Trump como presidente dos EUA e faz uma série de revelações, incluindo que o republicano nunca acreditou que iria ganhar a corrida e que a sua equipa não acredita que ele seja capaz de desempenhar o cargo.

O livro também abriu um conflito entre Trump e o seu ex-conselheiro, Steven Bannon, devido a acusações que Bannon faz no livro. Entre outras criticas, Bannon descreve uma reunião entre o filho do presidente, Donald Trump Junior, responsáveis da campanha eleitoral do e "um grupo de advogados russos", realizado na Trump Tower em Junho de 2016, como "um acto de traição" e "antipatriótica".

Em resposta, Trump disse que o seu chefe de campanha "perdeu o juízo".

Na quinta-feira, Donald Trump tentou parar a publicação do livro através dos seus advogados. A editora, Henry Holt & Co., respondeu antecipando a publicação para esta sexta-feira, quatro dias antes do planeado.

O livro está neste momento em primeiro lugar na lista de livros mais vendidos na Amazon e esgotou em muitas da livrarias que o puseram à venda esta manhã.