Finanças Públicas Costa anuncia novos incentivos fiscais à capitalização de empresas

Costa anuncia novos incentivos fiscais à capitalização de empresas

O primeiro-ministro antecipou quatro medidas do Orçamento do Estado para incentivar a autonomia financeira das empresas, que é uma das prioridades para 2018, justificou.
Costa anuncia novos incentivos fiscais à capitalização de empresas
Miguel Baltazar
Rui Peres Jorge 12 de outubro de 2017 às 19:56

O governo vai tornar mais atractivo o regime fiscal para transformar dívidas em capital, capitalizar com dinheiro e reinvestir lucros. Será também mais fácil receber o benefício fiscal em sede de IMT e Imposto Selo associado a restruturações empresariais. Estas são quatro medidas do Orçamento do Estado para 2018 anunciadas pelo primeiro ministro, no final da tarde de quinta-feira, no fecho do primeiro dia do Congresso Nacional da Ordem dos Economistas.

Considerando ser tão importante estabilizar o sistema financeiro como reforçar a autonomia financeiras das empresas, António Costa avançou o que apresentou como "quatro medidas muito importantes para um quadro fiscal atractivo [que promova] o reforço dos capitais próprios".

A primeira foi o alargamento a todos os credores de um benefício fiscal que em 2017 estava limitado a suprimentos por sócios, em sede de IRS e IRC.

A segunda medida é um outro benefício fiscal, também em sede de IRS ou IRC, para entradas em dinheiro em empresas que tenham perdido metade do seu capital.

Em terceiro lugar, o líder do governo anunciou outra alteração ao regime de benefícios fiscais, que alargará de dois para três anos o prazo para reinvestimento de lucros, aumenta os actuais limites de 5 para 7,5 milhões de euros e, para as pequenas empresas, de 25% para 50%.

Para o fim António Costa deixou uma medida Simplex, que tornará automático o acesso ao benefício fiscal em sede de IMT e Imposto Selo associado a restruturações empresariais.

O Orçamento do Estado para 2018 será apresentado na sexta-feira, dia 13, no ministério das Finanças e será debatido e negociado no próximo mês e meio no Parlamento.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
General Ciresp Há 6 dias

Olha o d.branca a por queijo na ratoeira a ver se apanha ratos,que as arme la para os lados do largo,terra natal.Os investidores querem sossego,paz,mas acima de tudo confianca.Ainda ontem mais 1 zaragata policial la para os lados da cidade imunda.E as que ai veem.

oluapaxe Há 1 semana

De boa em boa noticia até a bancarrota final. Na próxima bancarrota temos que garantir que o costa fica lá por essa razão devemos votar costa pois que comeu a carne depois que roa os osso.

Xocrates - ha ha ha Há 1 semana


http://observador.pt/videos/atualidade/era-uma-vez-em-portugal-minidocumentario-sobre-o-caso-socrates/

tristeza xuxxa Há 1 semana



Os xuxxas andam tão caladinhos desde que o seu profeta Xócrates os deixou envergonhados.

pub
pub
pub
pub