Emprego Costa destaca "boa notícia" na redução "sustentada" do desemprego

Costa destaca "boa notícia" na redução "sustentada" do desemprego

O primeiro-ministro salientou o facto de os três últimos dias terem trazido "três boas notícias ao Governo". Além do desemprego, Costa destaca a recepção positiva do OE em Bruxelas e a recomendação do Parlamento Europeu para que não haja suspensão de fundos.
Costa destaca "boa notícia" na redução "sustentada" do desemprego
Miguel Baltazar/Negócios
Paulo Zacarias Gomes 09 de Novembro de 2016 às 11:58

O primeiro-ministro, António Costa, referiu-se aos números divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) que dão conta de um crescimento do emprego e de uma queda da taxa de desemprego no terceiro trimestre como a terceira "boa notícia" em três dias.

"A redução sustentada do desemprego, a criação de 90 mil postos de trabalho (…) é seguramente uma boa notícia que nos deve motivar e dar confiança e resultado do sucesso da nossa política económica que tinha como objectivo: emprego, emprego, emprego," afirmou o líder do Governo esta quarta-feira, 9 de Novembro, em Lisboa, em declarações transmitidas pelas televisões.

Os números revelados esta quarta-feira pelo INE apontam para uma taxa de desemprego de 10,5% no terceiro trimestre do ano, menos 0,3 pontos percentuais que no trimestre anterior e menos 1,4 pontos que no trimestre homólogo. Em relação ao mesmo período do ano passado há agora mais 86 mil pessoas oficialmente empregadas.

Questionado em particular sobre as "boas notícias de Bruxelas" a que se tinha referido nas declarações aos jornalistas, o primeiro-ministro especificou, referindo-se às notícias que ontem davam conta da recomendação do Parlamento Europeu para que não seja aplicada uma suspensão de fundos comunitários a Portugal pela não introdução de medidas de redução do défice entre 2013 e 2015 e de anteontem em que a Comissão Europeia renovou indicações de que aceitará a proposta de Orçamento para 2017.

"Está a ver? Três dias com três boas notícias," concretizou Costa, acrescentando estes dados aos números do desemprego conhecidos hoje.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
trotil Há 4 semanas

Qundo acontecia no governo anterior a culpa era da emigração, agora é o resultado do sucesso da política económica.

Anónimo Há 4 semanas

É uma vergonha declarações destas, quando os nossos jovens licenciados são "obrigados" a fugir para o estrangeiro.

Cataturra Há 4 semanas

Não sejas Inácio! Então sobre a fera Tramps nada dizes?

pub
pub
pub
pub