Política Costa diz que vê nas tricas da oposição raiva por perceber que é possível outra política

Costa diz que vê nas tricas da oposição raiva por perceber que é possível outra política

O secretário-geral do PS, António Costa, disse sexta-feira, em Murça, que vê nas “tricas” e “ataques pessoais” da oposição o “desespero e a raiva” porque perceberam que é possível fazer uma política diferente em Portugal.
Costa diz que vê nas tricas da oposição raiva por perceber que é possível outra política
Bruno Simão/Negócios
Lusa 11 de fevereiro de 2017 às 10:10

"Quando eu vejo agora a oposição muito irritada, muito enervada, todos os dias chama novos nomes, todos os dias inventa novas tricas, todos os dias faz mais ataques pessoais, o que eu vejo verdadeiramente ali é o desespero e a raiva porque perceberam que, tudo aquilo que disseram que não era possível, vêem agora a ser concretizado", afirmou António Costa.

Depois de um dia a visitar o distrito de Vila Real, Costa despiu "o casaco" de primeiro-ministro e foi jantar com autarcas e militantes dos Vila Real e Bragança, onde aproveitou para fazer uma referência às acusações da oposição ao ministro Mário Centeno por causa da polémica à volta das declarações de rendimentos na Caixa Geral de Depósitos (CGD).


"As portuguesas e os portugueses estão a acreditar que de facto é possível termos salários dignos e défice baixo, termos menos impostos e vivermos melhor. Sim é possível, foi possível e era possível fazer uma política diferente e é isso que estamos a provar que é possível acontecer", salientou.


A meio do discurso, António Costa fez questão de assinalar o golo marcado pelo Benfica, depois de ouvir um burburinho entre os militantes presentes na sala e disse que "não há nada como começar bem o fim-de-semana".


António Costa continuou depois para falar sobre a reforma do Estado, que tem que passar pelo combate à burocracia e pela aposta na valorização da função pública.


A propósito, lembrou que o Governo quer terminar, no próximo ano, com o congelamento das carreias e reafirmou a vontade de "acabar com a chaga da precariedade" e "dar contrato a quem tem direito".


Por estes dias, o primeiro-ministro e secretário-geral do PS tem insistido no tema da descentralização, a qual quer ver concretizada este ano.


Para o governante, a "melhor forma de homenagear o poder autárquico não é só dar parabéns a quem foi autarca ou a quem ainda é autarca, é sobretudo dar melhores condições para os autarcas que vão ser eleitos em Outubro deste ano".


E esta é uma reforma que António Costa quer ver concretizada com "o apoio político alargado de todas as forças políticas representadas na Assembleia da República".


"É uma reforma na qual temos todos que nos mobilizar, não é fácil. Está na hora de darmos um novo passo e de confiarmos que vamos ter sucesso neste novo passo", salientou.


Por fim, o secretário-geral socialista apelou também à mobilização dos militantes de todo o país para as eleições autarquias deste ano.


O presidente da Câmara de Murça, José Maria Costa, aproveitou para anunciar a sua recandidatura a um segundo mandato à frente desta autarquia do distrito de Vila Real e deixou já um ‘slogan’ de campanha.


"De José Maria Costa para António Costa, seja em Murça seja em Portugal a melhor aposta é confiar no Costa", frisou o autarca.




A sua opinião13
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
À DIREITA INTERESSA APENAS O SEU PRÓPRIO UMBIGO 12.02.2017

Para alguém que tenha dois palmos de testa, esta estratégia de perturbar o BANCO PÚBLICO PORTUGUÊS, a CGD, tem, como objectivo último e encapotado, desacreditar a CGD e tudo fazer para impedir a sua recapitalização, com vista à sua privatização, que é o grande desgosto para PASSOS de não ter feito.

A MARCA DE ÁGUA DE PASSOS É A MENTIRA 12.02.2017

O biltre PASSOS culpa Centeno de mentir.
Se falamos de mentir, nisso é ele um perito doutorado.
Recordemos q este porco prometeu, a pés juntos, na campanha das Legislativas de 2011, que, se fosse PM, não aumentaria impostos para, logo q se apanhou no lugar, os aumentar, indo, até, além da troica

insultuoso 12.02.2017

...parece-me que o Sr Costa está a insultar a inteligência dos Portugueses...o facto de um Ministro das Finanças MENTIR descaradamente aos Portugueses e à Assembleia da República é encarado desta forma?!...lindo respeito que tem ao povo e às Instituições Democráticas...talvez sejam tricas em Goa...

Conversa à beira-mar 11.02.2017

A municipalização do território é a melhor solução e justa. Uma junta de freguesia que não seja da cor do presidente da Câmara está sempre lixado com a delegação de competências e não há nada que possa solucionar esta situação

ver mais comentários
pub