Mundo Costa elogia primeiro ano de Guterres como secretário-geral das Nações Unidas

Costa elogia primeiro ano de Guterres como secretário-geral das Nações Unidas

O primeiro-ministro elogiou a prestação de António Guterres como secretário-geral das Nações Unidas. O ex-líder socialista completa no próximo dia 1 de Janeiro um ano à frente da aliança multilateral.
Costa elogia primeiro ano de Guterres como secretário-geral das Nações Unidas
Lusa
Lusa 12 de dezembro de 2017 às 13:51
O primeiro-ministro, António Costa, considerou hoje que o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, ao fim de quase um ano em funções, tem aberto caminhos para a paz e congregado apoios para a sua agenda de reformas.

Esta posição de António Costa foi divulgada na rede social Twitter, na qual lembra que foi precisamente há um ano que António Guterres prestou juramento em Nova Iorque, após ter sido eleito secretário-geral das Nações Unidas.

"Há um ano, assistimos com orgulho e emoção ao juramento de António Guterres sobre a Carta das Nações Unidas. Como secretário-geral tem aberto caminhos para a paz e congregado apoios para a sua agenda de reformas para um mundo mais justo e solidário", sustentou o primeiro-ministro.

Ainda em outra mensagem divulgada no Twitter, o primeiro-ministro português faz "votos para que os próximos anos [do secretário-geral das Nações Unidas] sejam de plena concretização dos objectivos que fixou para a sua ambiciosa agenda: Na defesa da paz, dos Direitos Humanos, no combate às alterações climáticas, na transição digital e na garantia de uma vida digna para todos".

António Costa está hoje em Paris para participar até quarta-feira na cimeira do clima, intitulada "One Planet", uma iniciativa do presidente francês, Emmanuel Macron, do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, e do Banco Mundial.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub